sexta-feira, abril 15, 2016

Primeiro... depois o amor

Não faças amor comigo.
F***-me. Como se fosse uma estranha que engata num bar e com quem fazes todas as loucuras. Vais fazê-las comigo,  com quem amas, o corpo e a alma que conheces de olhos fechados. Sou tua, a tua p***, amante, o teu engate de sempre.
Dá-me amor nos pequenos pormenores.
Nos instantes em que sabes que preciso de um abraço e não preciso pedir. Naquele momento em que percebes que quero estar só com o meu mp3. dá-me amor fora da tesão.



Sou o que quiseres... Mas quando eu quiser.

12 comentários:

  1. a maioria "compartimenta" as coisas entre sexo e amor,e acha que quando ama não se faz sexo,pois eu tenho a ideia contraria,quando se ama ainda se faz mais sexo,esse que te referes,com força,com vontade,porque sim,porque se quer.
    A verdade é que o amor também esta naquele gesto,atitude,ou apenas um carinho no momento exacto.
    Um excelente poste,que teria e tem muito para pensar e "discutir".

    Um beijo grande amiga e bom FDS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, temos opiniões opostas neste campo. Um beijinho

      Eliminar
  2. Está calor por esses lados :O)

    ResponderEliminar
  3. Bom dia Pin

    O texto e a "mensagem" inserta da imagem - banho de chuveiro, sempre doce e luxuriante, sexualmente uma tentação, conjugam-se na perfeição. Penso que todos nós temos ao longo da vida, falando concretamente de amor e/ou sexo, momentos muito diferenciados. Gostamos de fazer amor com sexo e sexo com amor. Mas também gostamos de uma vez ou outra, olhando e satisfazendo um determinado estado de espírito, de fazer sexo sem amor. Fazer sexo porque se sentiu momentânea atracção, por determinada pessoa e/ou apenas porque ... sim. Sexo pelo sexo... e de manhã um dos lados da cama estar vazia...alguém partiu deixando o seu cheiro, a sua imagem visual, apenas recordação.

    Conhecer alguém que nos atrai, através do gesto, da palavra, da presença, pode ser um bom motivo para existir sexo sem amor. E, digo sinceramente, por vezes é tão bom, ou melhor que fazer sexo com amor. E digo mais: Quando se faz sexo ocasional com uma pessoa que nos conseguiu "agarrar" física e mentalmente,nesse momento, por norma, nunca mais sai do nosso pensamento, quiçá imaginário sexual. E pronto. Mais um bom tema da Pink Poison que, decerto, originará as mais diversas opiniões.

    Será que tenho razão? Posso não a ter mas fico feliz por pensar que a tenho, lool

    Deixo votos de um Feliz Fim de semana

    ResponderEliminar
  4. Olá Nuno, percebo o que dizes. Mas gosto muito de ter essa sensação com a pessoa que amo. Costumo dizer, peço perdão aos mais sensíveis, "eu não faço amor, eu fodo" e amo em todos os olhares, momentos a dois enfim tudo o que uma relação exige. Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Calaste-me por completo. Fiquei sem resposta

      Seja como for o que interessa é a intensidade da acção e do empenho nessa acção. O resto é "" palha que arde sem se ver""

      Beijinho doce e amigo

      Eliminar
    2. Pelo menos desta vez não caíste da cadeira ihihih

      Eliminar
  5. Pink Poison... uma vez fiz um poema sobre isso:
    "metade de mim te idolatra, te acha a mulher mais linda, a profissional mais bem sucedida.. a mais amada, a mais gentil mulher do mundo...metade de mim te canta poemas... te faz versos..
    A outra metade quer te foder muito, te chupar toda, te comer por todos os lugares, por todas as posições... a outra metade que ter-te como puta, como mulher insaciável que mete, mete, mete e fode e fode até o dia clarear.
    Amor, te dou em momentos em que não queres foder...."

    É por ai???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. BINGO!
      permites-me que ponha este comentário no post?

      Eliminar
  6. Foda-se?! Já estou com o caralho a latejar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é motivo para tanto Jorginho

      Eliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.