sexta-feira, abril 15, 2016

Krav Magá e Vale tudo

Morreu um lutador português num combate numa luta apelidada de "vale tudo".
Efectivamente a luta não é uma arte tal como Krav Magá não o é mas sim um conjunto de técnicas.
Depois do Krav Magá, surgiu algo chamado "All Marcial" mais agressivo, mais mortal que o Krav. A essência do Krav Magá é atacar para defender. Os combates de Krav dão-se na vida real e se as pessoas forem realmente bem treinadas, sabem que não vale tudo, mas sabem que conseguem matar com um golpe, verdade, conseguem ter mais medo de uma faca do que de uma pistola (dependendo de quem a segura). Aprendi a desarmar e a fugir de facas. Nunca vale tudo.
Matar? Pensem se estiverem em risco de vida. 

Sou o que quiseres... Mas quando eu quiser.

6 comentários:

  1. Atenção que o MMA (desporto praticado pelo lutador português) não e a mesma coisa que o Vale Tudo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ok, Perdigota, quanto a mim tem apenas e só apenas um nome pomposo para ser legal. NENHUM desporto devia permitir mortes no ringue. É assassinato.

      Eliminar
  2. Nenhum desporto deveria permitir mortes.
    Isso é matança... isso é crueldade.
    Vi outro dia aqui a beleza do Krav Magá, enquanto instrumento unicamente de defesa e de desenvolvimento da auto confiança.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A morte do oponente é um recurso a usar em casos extremos, muito bem pensados.

      Eliminar
  3. Nas lutas do vale tudo ... tem de haver aquele linha que separa o vale tudo do... vale tudo. Ou seja: NUNCA pode valer tudo quando se coloca em risco a vida de um opositor. É discutível? Sim é. Mas a verdade, na minha opinião, é que quem anda e viaja pelos meandros do vale tudo, deveria conseguir discernir esse Vale tudo. lamenta-se a morte. E, por incrível que pareça, já vi/li aplaudir a sua coragem... coragem de morte. Por profissão direi sempre...NÃO PODE HAVER VALE TUDO, dentro do apelidado... vale tudo.

    Fica bem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, nunca pode valer tudo! Beijos Nuno

      Eliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.