Absorve-me mas em várias fracções

sexta-feira, 18 de junho de 2021

Humanidade

Hoje é o dia mundial do sushi mas também do pânico.

Não sei até quando irá durar o preconceito das doenças não visíveis. Ou a estupidez dos negacionistas. 

Para onde a humanidade caminha, sei que é perigoso.




segunda-feira, 7 de junho de 2021

Maré, dizes ser

 Dizes ser como as marés.
As marés vão e voltam.
Cheias, de braços abertos para o conforto de um ombro, um corpo quente na cama, carinho e tudo mais.
Desaparecem, porque outros portos vão ser visitados, fica o vazio, fica o cheiro, o mexido, o tocado e o bem estar. Mas o vazio está cá.
Não o ser especial, o pelo menos fingir que o sou, quando sei que o sou, não está o que houve, outros contextos, contextos correctos, horários cumpridos...
Quando me perguntaste: "Posso ir aí?", a minha impulsividade ia escrever "não" mas acho que todos merecemos sempre mais uma e outra e outra oportunidade. Nunca pensei em oportunidades às pessoas mas sim oportunidades de bons momentos, boas conversas, dar e receber, essa oportunidade eu dei a mim e a ti.
Mas as marés banalizam, as marés fazem com que uma alegria se transforme em frustração, e já havia alguma acumulada, pelo lugar que ocupavas, sim tu, que afinal ainda me lês, aquele lugar que era na caldeira de um vulcão. Isso desapareceu.
Tomei agora a decisão correcta de confirmar o meu "nunca mais" do dia 16, data em que tanta falta fizeste.
Fez-me falta inteligência emocional.
Vou dormir outra vez, ia fazer crepes, mudei de ideias.
As marés não servem. Sou um areal diferente. Se TU, que sabes que és tu, não tiras mais partido da diferença deste areal, quem perde és tu.
Eu não, porque não tive, andava ao sabor da tua maré e soube estar acordada a mirar-te enquanto dormias e soube aproveitar tudo da maré... Eu sabia que aquele sms um dia ia surgir numa maré vazia.  
Aqui para ti, sempre, sem ondas.

 

Foto minha sem direito a partilhas

 

Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

quarta-feira, 2 de junho de 2021

Dou-te um todo cheio de tudo

Fosse eu o escuro que te assusta e diria que não, não existem motivos para ter medo. Terias tu medo do escuro se ao meu lado estivesses? 

Quando duas almas se unem, cresce com essa união o sentimento de serem indescritíveis, indiscutíveis, intangíveis... apenas unidas. Duas almas, só são se em plena consciência da sua individualidade, do que dão e do que podem vir a dar ao outro. Do que eu te dou , é um todo, cheio de tudo, cheio sorrisos, abraços, cheiros, amor, dedicação... 

Quando duas almas se unem, o mundo para um pouco para perceber que ali, mesmo ali, ainda existe um pouco de humano em nós.



 

Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

segunda-feira, 17 de maio de 2021

Re-nascimento

Parece-me que começo a ter uma ideia clara do pós-pandemia cultural. Um mini renascimento? 

Talvez,  mas será que em 2024 não irão surgir as novas criações tão adiadas? Penso que sim, há quem se esteja já a reinventar, quem tenha estado em confinamento com a mente a borbulhar e eu cá estou para assistir. Não se enganem, nem sempre é necessário dinheiro para criar: um lápis e uma folha são o que basta para muitos. Um simples caderno de notas sempre no bolso. 

A arte pós pandemia vai chegar!



 

Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

sábado, 24 de abril de 2021

Dança de corpos sem pudores



imagem sujeita às não permissões do blog, consultar
Começa a dança dos meus sentidos que te afectam. Porque às vezes não te queres soltar ou te apressas e cais mas descansa porque o podemos fazer devagar. Porque a forma como nos tocamos e a forma como nos movemos entrelaçados um num noutro é tão forte e intensa como uma onda de calor a chocar com uma de frio. Tentámos esconder mas sinto a tua respiração, esta é a forma de me sentir viva, que te faz sentir-me  e toda tua. Sempre toda tua, de corpo e alma
Diz que me queres.
Diz que nunca farás errado.
Farei de tudo para que esta nossa forma de nos unirmos seja sempre única.
Anda, funde-te em mim e fode-me.
Sem pudores.
Nem amores.
Só momentos.
Beijos intensos.
Movimentos cadentes.
Corpos presentes e mentes ausentes

quinta-feira, 22 de abril de 2021

O ser dito humano , existe?

Nem sempre as pessoas percebem o que nós pensamos. Nem sempre nos fazemos entender. A linguagem da alma diz mais: o olhar, a postura corporal. Era tão bom que se desse uma mudança de paradigma, uma forma de existir aceitação.

ACEITAÇÃO, percebem? Nada de hipocrisia, preconceitos e merdas dessas. Aceitar sem perceber mas perceber que aceitar é um passo para alguém se sentir mais leve. Aceitar que as pessoas não pensam como nós, que umas são radicais, outras não falam, que querem morrer quando querem viver outra vida, que se cortam mas precisam de ajuda e não de criticas . 

Estarei a falar de amor ou solidariedade?

Ou de um ser que é humano e afinal não existe? 



 

Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

quarta-feira, 21 de abril de 2021

Dasssssssssssssss




You got me

You got me ... 

Esta é a verdade, pensa bem , enquanto estás no escuro da vida, a tua zona de conforto. Ouve quem te quer, descobre o desconhecido, dá-me essa tua mão aberta e vamos... pensar. Pensar no que bem que faremos um ao outro. O teu amor é um bem precioso e não precisarás de andar no escuro. O caos é um teoria filosófica que não se aplica sempre, sempre que te mergulhares nesse escuro ou nesse caos, eu nunca vou sair de onde estou : na tua mão!  




 

Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

terça-feira, 13 de abril de 2021

Coisas... Rui Rio e povo!

Rui Rio acha que a justiça, quando não entendida pelo povo, está doente. E eu pergunto se o "povo", sempre mas sempre de senso comum em punho, não precisa que expliquem a dita justiça ou se temos todos o mesmo grau de conhecimento e o mesmo vernáculo? Sendo que existem vernáculos bem elaborados e outros, em sala de audiência, ainda que nojentos, ditos como "normais"... 

 

Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

segunda-feira, 12 de abril de 2021

Dos meu cheiro

A maioria dos perfumes hoje em dia, parecem ser todos iguais. Dos poucos perfumes da minha vida e que pouco gosto de mudar, este, da Aramis, nunca mais o vi  (New West)



Entre os meus 13 e 17 anos, era o meu cheiro. Antes deste tinha sido este 

 

E desde os meus 20 que ando entre estes dois:


É impressão minha ou actualmente todos são parecidos?

 

Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

terça-feira, 6 de abril de 2021

Tu não foste, és.

Quando o frio percorre o meu corpo acompanhado de sono, é em ti que penso, não penso no dia, não penso no seguinte, penso naquele quarto, naqueles dias , naquelas noites. Em que fui em ti, aquilo que o teu ar podia respirar e a sede que a tua boca pedia. Fui tua, foste meu, abraçaste-me, tanto quanto eu quis e nem pedi, foste uma avalanche que deixou uma cicatriz, uma daquelas boas, que sorrimos quando olhamos.
Sabes, não foste, és.



quarta-feira, 31 de março de 2021

Amar, do amor tão amado

Do amor suado, desejado. Do amor carnal, daquele que nos tira o sono, daqueles que nos fazem  tornar abracos em viagens nos olhares de quem desejamos. São tantas as viagens, é tanto o barulho deste silêncio que fala e diz coisas bonitas, que mexe com os outros. Tenta encher lhes o coração. Do amor, tantos existem e tanto se pode dizer. Até que odiamos

Foto minha sem direito a partilhas 


Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

Não gosto de homens fofos

Os homens demasiado fofinhos não me agradam. Não gosto de "fofuras", gosto de conversa, gosto de desafios, gosto de ter sempre imaginação para garantir a atenção da pessoa. Certos homens, o que nos mimam demasiado, estão a prejudicar a sua identidade numa ligação... Pelo menos comigo, gosto de conduzir com um homem ao lado sem este gozar por ser mulher, gosto de ser tratada com frontalidade, com sinceridade , daquela crua, daquela que nos abre os olhos , que nos toca tão profundamente que percebemos o quanto somos aceites pela pessoa que amamos.



 

Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

sábado, 27 de março de 2021

Uma pessoa não é um mundo

Sejamos então pequenos. Ou grandes. Sejamos então aquilo que o mundo nos obriga a ser... Ou nós obrigamos o mundo a ver-nos assim. Mostrar ao mundo  a alma , leva-nos a perceber melhor o mundo e conexões que estão todos os dias à nossa frente e não tínhamos reparado. 

A alma, essa, também precisa de ser lavada: com alegria, com sexo, com amor, com raiva, adrenalina e com garra... Somos seres de garra e não sabemos. Amamos muito mas não sabemos verbalizar... 

Tal como eu te mostrei a minha alma quando te vi, recebi a tua de volta, de mim, tens tudo e eu de ti adoro o que tenho. Que seja assim sempre, que o mundo seja tudo e tu, um. Porque ninguém é o mundo de alguém, apenas uma doce e importante parte. 

O meu mundo , o da pink poison tem mais que uma pessoa e uma emoção. 

Sem emoções fortes, não queria cá andar!

 


 



Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

terça-feira, 23 de março de 2021

Garra

Se existe a expansão da mente, que seja agora. Agora é o momento para se exporem, para darem o corpo às balas e para saltarem novamente ao som de uma melodia que vos anime. Ponham o sorriso, ou não: riam por dentro, sintam-se com força, que todos vós se estendam um pelo outro e façam uns dos outros melhores... Que cada ciclo seja um renascimento, tal como o Renascimento italiano que tudo de novo trouxe e onde Da vinci, Roterdão, Giotto e outros tantos brilharam... Capturem-se boas imagens, que sejam espelho da alma onde o cartão de cidadão não é necessário.




 

Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

terça-feira, 16 de março de 2021

ontem

Ontem chorei. Por tudo que fomos. Por tudo o que não conseguimos ser. Por tudo que se perdeu. Por termos nos perdido. Pelo que queríamos que fosse e não foi. Pela renúncia. Por valores não dados. Por erros cometidos. Acertos não comemorados. Palavras dissipadas.Versos brancos. Chorei pela guerra cotidiana. Pelas tentativas de sobrevivência. Pelos apelos de paz não atendidos. Pelo amor derramado. Pelo amor ofendido e aprisionado. Pelo amor perdido. Pelo respeito empoeirado em cima da estante. Pelo carinho esquecido junto das cartas envelhecidas no guarda-roupa. Pelos sonhos desafinados, estremecidos e adiados. Pela culpa. Toda a culpa. Minha. Sua. Nossa culpa. Por tudo que foi e voou. E não volta mais, pois que hoje já é outro dia.


 

 

Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

segunda-feira, 15 de março de 2021

Quando os olhos fecham.

Quando os olhos não fecham, o telefone não toca e a tua vida está somente nas tuas mãos.

pensa racionalmente: ou tu fazes algo ou estás fodida!

 

Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

sexta-feira, 5 de março de 2021

Ando

Ando por aí, por aqui e por ti. Ando de cabeça erguida, não olho par aos passos que dou prefiro sentir o vento. ao sentir o vento, sinto o teu chamar, o teu cheiro, o transporte de coisas tuas, tão tuas como os sedimentos de rochas que o vento também transporta... 

Ao andar, os meus pensamentos vão definhando, o corpo pede mais distância e chego ao estado de mente vazia. 

Mas tu, tu estás comigo, onde eu estiver ...




 

Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

domingo, 28 de fevereiro de 2021

Pink 45

Fiz 45 anos. Não muda muito além do dia. Além de cada vez mais, estar na minha origem, me causa quase dor. Cresci a ver o mar todos os dias, aprendi por que motivo as pessoas gostam do Algarve. Eu não gosto, eu sou algarvia, eu sei que em breve volto. Dói porra 








Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

sábado, 20 de fevereiro de 2021

Devíamos viver

Na vida encontramos pessoas que não queremos que mexam connosco. 

Mas mexem. 

Histórias que não deviam fazer chorar. Mas choramos. 

Situações que não queremos imaginar, mas que são reais. 

Pessoas que queremos esquecer mas não nos saem da cabeça. 

Fora da cidade há aquela paisagem que nos permite pensar no que é nosso, permite-nos sorrir e ficamos mais bonitos. Estamos a viver nesse preciso momento, estamos a sentir e percebemos que a trivialidade do senso é um erro dos maiores que cometemos porque nos deixamos moldar, todos temos um plano que nos torna quadrados. 

Não devia ser assim, quanto a mim, deveríamos olhar mais para uma cidade e imaginar o que quiséssemos, viver por 5 minutos, porque quem viaja ao DMT da sua essência, sabe o que é viver



 

Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021

domingo, 7 de fevereiro de 2021

Ela deitada

A cama era o seu refúgio.

Os sonhos eram a sua segunda pele. Porque ninguém os poderia tirar. Manuseava os seus sonhos como bem entendia e punha as pessoas que no seu passado, deixaram algo...  Ela sabia que deixar uma porta aberta era um perigo, mas os seus sonhos, eram só dela e punha e dispunha.

Perigosa actividade mas prazeirosa



 

Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)