Absorve-me mas em várias fracções

terça-feira, 12 de novembro de 2019

O desconhecido da virgindade

"Quando falamos em virgindade, logo pensamos em sexo, e a partir do dia que o experimentamos, o mundo parece perder seu mistério maior. Não somos mais virgens - que grande ilusão de maturidade.
Virgindade é um conceito um tanto mais elástico. Somos virgens antes de voltar sozinhos do colégio pela primeira vez. Somos virgens antes do primeiro gole de vinho. Somos virgens antes de conhecer Nova York. Somos virgens antes do primeiro salário. E podemos já estar transando há anos e permanecermos virgens diante de um novo amor.
Por mais que já tenhamos amado e odiado, por mais que tenhamos sido rejeitados, descartados, seduzidos, conquistados, não há experiência amorosa que se repita, pois são variadas as nossas paixões e diferentes as nossas etapas, e tudo isso nos torna novatos.
As dores, também elas, nos pegam despraparadas . A dor de perder um amigo não é a mesma de perder um carro num assalto, que por sua vez não é a mesma de perder a oportunidade de se declarar para alguém, que por outro lado difere da dor de perder o emprego. Somos sempre surpreendidos pelo que ainda não foi vivido.
Mesmo no sexo, somos virgens diante de um novo cheiro, de um novo beijo, de um fetiche ainda não realizado. Se ainda não usamos uma lingerie vermelha, se ainda não fizemos amor dentro do mar, se ainda cultivamos alguns tabus, que espécie de sabe-tudo somos nós?
Eu ainda sou virgem da neve, que já vi estática em cima das montanhas, mas nunca vi cair. Sou virgem do Canadá, da Turquia, da Polinésia. Sou virgem de helicóptero, Jack Daniels, revólver, análise, transa em elevador, LSD, Harley Davidson, cirurgia, rafting, show do Neil Yong, siso e passeata. A virgindade existencial nos acompanha até o fim dos nossos dias, especialmente no último, pois somos todos castos frente à morte, nossa derradeira experiência inédita. Enquanto ela não chega, é bom aproveitar cada minuto dessa nossa inocência frente ao desconhecido, pois é uma aventura tão excitante quanto o sexo e não tem idade para acontecer."

 de: Martha Medeiros






sábado, 9 de novembro de 2019

tenho-te na pele

Hoje, foi dia de tatuagens: sim plural. Duas novas e retocar a cor da primeira que fiz aos 18 anos.
Ao som de Paul Kalkbrenner , um dj que não é, produz ao vivo que acompanho há mais de 10 anos , deixei na minha pele um pouco da sua música, a primeira que adorei, a que mexe mesmo comigo e a que o lançou pelo mundo fora.

Tatuei um ponto e vírgula, para quem não conhece o significado, já o tinha explicado neste blog mas que volto a indicar
"

O ponto e vírgula é um sinal que indica que uma frase poderia acabar ali, mas o autor do texto deu continuação. Esse significado faz todo o sentido para pessoas que sofrem de depressão e têm tendências suicidas. A ideia da tatuagem, é que ao olhar para ela, a pessoa se lembre de que é uma fase ruim pela qual está passando, mas que a vida deve continuar, que ainda não é o ponto final." MAIS AQUI



a frase da imagem de baixo pertence à música sky and sand)
"Construímos castelos no céu e na areia
Criamos o nosso mundo que não há quem entenda! "

  

Todas as minhas tatuagens significam algo na minha vida, um período, um projecto, uma paixão... Se já tinha uma com referência a Guns n'Roses (desde os 14 a adorar) porque não o homem que me faz saltar, chorar, apreciar o som que eu gosto ?
Ponto e vírgula porque defendo que as doenças da alma, podem limitar mas não é preciso acabar com uma vida. 
Que todos tenhamos mais atenção aos sinais, e já agora, pensem nisto: se as pessoas se cortam (auto-mutilam) é porque precisam expor na carne a sua dor, se elas se sentissem apoiadas , não se cortariam. Mais amor por favor.

As restantes tatuagens:


 
Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)


sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Não sei se é mau ou bom

 A imagem pode conter: texto

Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

Da moral

Devemos sempre pensar de onde veio o outro? Como está? como são os seus contornos? Do que vive? O que o faz viver ou morrer... 
Devemos sim, temos moral para tanta coisa ruim, que tenhamos a obrigação moral de querer ser melhor, de ser melhor para os outros, ser mais em tudo o que pudermos. Enfim, de sermos alguém numa vida que está vazia, pode fazer toda a diferença. Infelizmente olhar para um telefone e não olho no olho, é uma preferência 


Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

Sobre difamar, injuriar e caluniar :IRA

Sobre a difamação do IRA 
acusados de terroristas, etc


Foi decretado pela ERC o seguinte (porque não podemos dizer de quem não conhecemso o que queremos e assumir que o fazemos porque sim)13. Desta análise, podemos sumariamente concluir que a peça em causa.
a) Viola o dever de respeito pelo rigor informativo – Artigo 9.º, n.º 1, alíneas a
 b) e artigo 34.º, n.º 2, alínea b), (LTV). 9 500.10.01/2018/291 EDOC/2018/9443
 b) Não respeita a necessária diversificação e identificação de fontes – Artigo 14.º, n.º 1, alíneas a), e) e f) do Estatuto do Jornalista.
 c) Viola o dever de respeito pelo contraditório – Artigo nº 14.º, n.º 1, alínea e) do Estatuto do Jornalista. d) Viola o dever de respeito pela presunção de inocência –
Artigo 14.º, n.º 2, alínea c) do Estatuto do Jornalista, agravada pela caracterização de organização «terrorista». e) Recorre ao sensacionalismo – Artigo 14.º, n.º 1, alínea a) do Estatuto do Jornalista, agravado pela consciência do alarme social causado. f) Viola o dever de respeito pelo Estado de Direito e da sociedade democrática, nos termos do artigo 6.º, n.º 2 e artigo 9.º, n.º 1, alínea c), ambos da LTV, mas também artigo 14.º, n.º 1, alínea a) e n.º 2, alínea e) do Estatuto do Jornalista. 14.
 Restando apenas considerar a dimensão e relevância da eventual falta de observância do dever de respeito pelo Estado de Direito e da sociedade democrática – artigo 6.º, n.º 2 e artigo9.º, n.º 1, alínea c), ambos da LTV – e possível incitamento ao ódio político – artigo 27.º, n,º 2 da LTV –ao associar um partido político com um grupo retratado como «terrorista».15. Sobre esta matéria há a considerar que, como vimos supra, a cumulação de comportamentos manifestamente violadores dos princípios e deveres a que a informação transmitida está adstrita revela – até pelo recurso ao sensacionalismo – a intencionalidade de, aos olhos do público (i.e. espectador médio) oferecer como informação uma ligação (alegada pela TVI) entre um «grupo terrorista» e um partido político.Ora, se tal alegação seria, já por si em qualquer situação, muito grave, reveste-se de particular gravidade o facto de ter como objecto um partido político com representação parlamentar, ou seja, com acesso e assento no principal órgão democrático de soberania. Como nos recorda a Comissão Nacional de Eleições4 «na ordem jurídica e constitucional portuguesa o aparecimento de partidos políticos tidos como associações privadas com fins constitucionais que visavam exercer, fundamentalmente, uma "função de mediação política", traduzida na"organização e expressão da vontade popular", na "participação nos órgãos representativos" ena "influência na formação do governo".»

Tem avariado? eles ajudam.

Dia de conserto é nome dado por um grupo de alunos do Instituto Superior Técnico para repararem de forma gratuita, os electrodomésticos que temos em casa por reparar.
Inspiraram-se numa acção semelhante  que existe desde 2016 na Holanda e são cerca de 30/40 voluntários para o "Repair Café"...
O objectivo é evitar o desperdício e também proporcionar a quem lá vai , algum conhecimento na área

Mais aqui 
Facebook Repair Café Lisboa

 

Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

domingo, 3 de novembro de 2019

fazes-me falta


Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

Lá onde o eco acaba

Encontro-te onde o eco acaba e começa a liberdade. A liberdade suprema. Aquela em que da nossa vida temos o comando, apesar de acompanhados, seguimos para onde queremos .
Quando os outros se calam, eu começo a viagem, convido-te a percorrer o caminho de um vazio de som agradável, o silêncio tem dois pólos: o que faz sofrer e que nos faz relaxar.
No silêncio, ninguém é vítima das circunstâncias que outros criaram, somente das que criámos.



Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

sábado, 2 de novembro de 2019

És droga

Quando se funciona como uma droga. Quando se é uma droga , então não somos nada, não temos identidade  nem essência, nem alma.
Pior, puxamos outras drogas.
Nunca deixem um sentimento ser um vício ou doença, as pessoas não valem a vossa saúde mental...




Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

Muito antigo mas história ... igual a tantas

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Dia mundial da poupança

Apostem neste dia, todos os dias e poupem-me.





Pink Poison(ver ©COPYRIGHT)

Parabéns meu amor!

Parabéns ao meu amor, a quem me ama, me atura, me apoia, a quem se cansa comigo, a quem chora comigo, ri comigo, a quem divide a sua vida comigo desde há quase uma década.

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

CONTO DE FADAS


Eu trago-te nas mãos o esquecimento
Das horas más que tens vivido, Amor!
E para as tuas chagas o unguento
Com que sarei a minha própria dor.
Os meus gestos são ondas de Sorrento...
Trago no nome as letras de uma flor...
Foi dos meus olhos garços que um pintor
Tirou a luz para pintar o vento...
Dou-te o que tenho: o astro que dormita,
O manto dos crepúsculos da tarde,
O sol que é d'oiro, a onda que palpita.
Dou-te comigo o mundo que Deus fez!
- Eu sou Aquela de quem tens saudade,
A Princesa do conto: “Era uma vez...”

Florbela Espanca, em "Charneca em Flor"