Absorve-me mas em várias fracções

sábado, 22 de setembro de 2018

E assim vai o mundo



Eu, sou do mundo. Mas do outro...

Quem nunca?




Eu, sou do mundo. Mas do outro...

Foi desta



Numa escura sala olho em redor e sinto respirações. Estão lá, os que me querem bem, para me ouvir. Não se trata de cantar, de recitar, de dramatizar.
Talvez, o meu palco, antes do Olimpo, seja mais intimista e choro, choro muito, porque o peso do peito não aguentava mais, porque precisava que todos entendessem que aquilo que pareço em alguns momentos do dia, não o sou.
Vim, novamente , tentar e parece que consegui. Conseguir aquilo que tenho visto na minha cabeça. Não gosto destas emoções presas no peito, apertam, sufocam, fazem-nos ouvir o som do silêncio como se de um trovão se tratasse.
Mais solidariedade, mais carinho, mais ouvir os outros, menos bens materiais, o dinheiro gasta-se e ganha-se, os carros destroem-se em segundos se tivermos azar. 




O poder da Natureza é infinito, eu sou natural.

Das definições



O termo hater é bastante utilizado na internet para classificar algumas pessoas que praticam "bullying virtual" ou "cyber bullying".

Basicamente, o hater é uma pessoa que simplesmente não está feliz ou satisfeito com o êxito, conquista ou felicidade de outra pessoa. Assim sendo, preferem "atacar" e "criticar" o indivíduo, expondo-o situações comprometedoras publicamente sobre essa pessoa, ou desvalorizando as acções e vitórias do "alvo". O hater pratica o ato de odiar alguma coisa ou alguém, e, esta expressão, não está directamente relacionada com a inveja, pois os haters não desejam ser ou possuir algo de alguém, mas sim apenas criticar e desvalorizar outra pessoa perante seu grupo social.

Os Haters são pessoas que apenas se preocupam em colocar comentários negativos e ofensivos. Normalmente são pessoas que possuem uma baixa auto estima na vida real e que aproveitam muitas vezes o anonimato que a Internet lhes pode conferir para se fazerem notar e sobressair. Normalmente as maiores vítimas destas pessoas são as celebridades ou toda e qualquer pessoa que chame a tenção pela fama ou notoriedade social.

Eu, sou do mundo. Mas do outro...


O destino, isso a que damos o nome de destino, como todas as coisas deste mundo, não conhece a linha recta. O nosso grande engano, devido ao costume que temos de tudo explicar retrospectivamente em função de um resultado final, portanto conhecido, é imaginar o destino como uma flecha apontada directamente a um alvo que, por assim dizer, a estivesse esperando desde o princípio, sem se mover. Ora, pelo contrário, o destino hesita muitíssimo, tem dúvidas, leva tempo a decidir-se. Tanto assim que antes de converter Rimbaud em traficante de armas e marfim em África, o obrigou a ser poeta em Paris.

 Saramago


Eu, sou do mundo. Mas do outro...