segunda-feira, abril 18, 2016

Moldar, apaziguar e viver ( de 2011 mas actual)

Escrevi este texto em 2011 no entanto acho que é válido de um bom debate.


Há quem diga que teve uma infância feliz, sem doenças, pais felizes, que nunca passou necessidades...
Que bom, pois ainda bem que certas vida correm bem.
Agora, vejamos os outros casos: "Ah aquela/aquele anda num psicólogo, deve estar doida!", oh meus amigos, não importa o quão estamos fracos em determinada altura, importa sim que estamos preparados para todas as eventualidades.
Quem vai ao psicólogo, vai porque não consegue resolver um problema sozinho/a, teve a coragem e a humildade de pedir ajuda. Resultado: fica mais forte.
"Nunca tive um acidente de carro", pois espero que essa pessoa goze bastante comigo quando me vir a passar a 40km/h na curva contra curva onde, a 120km/h embati numa árvore.
Não estou a dizer que é bom sofrer, estou a dizer que quem sofre, quem passa por situações FODIDAS, bem fodidas, bem tramadas e traumáticas e as ultrapassa, é, quanto a mim, um vencedor, um resistente. Quando a vida nos molda a uma redoma de defesas, não saímos da redoma e ao mínimo empurrão, é o fim do mundo.
Vou dar-vos um exemplo: Um médico que conheço um dia disse-me" Pink, se eu num mês não ganhar mais €5000, não sei viver"...
Pois muita gente sabe viver com €50 e fica contente por isso. Que iria ser do médico se ganhasse €500?
Eu tenho tido uma vida lixada, fui-me abaixo várias vezes e estou aqui, considero-me vitoriosa, lutei e aqui estou eu pronta para a próxima queda.


Sou o que quiseres... Mas quando eu quiser.

8 comentários:

  1. Cara Pink,
    Parte da resolução de um problema, é assumirmos que temos um problema. Estás a perceber? Alguém que diz que atropela uma criança, tem problemas graves, mesmo que depois diga que óbvio que não o faria. Há coisas com que não se brincam, nomeadamente com alguém que já faleceu, e que tu usas da forma mais vil e baixa para atingir a filha. Que não gostes delas? Tudo ok, mas Pinkzinha fofinha, tu só dás tiros no próprio pé. A sério, procura ajuda, isto está a ficar preocupante. Em parte (e desculpa a sinceridade) isto até é engraçado, para quem está de fora, porque isto é bem melhor que uma novela, mas tu vê lá isso, sim querida? É que ninguém gosta de alguém mal amado, rancorosa, as pessoas toleram-te e tu cada vez mais vais definhar e isso não é bom nem para ti nem para quem te rodeia, se bem que quem te rodeia tem a hipótese de ir embora a qualquer momento, já tu, tens que viver ctg mesmo. E agora que penso nisto, visto a quantidade de personagens que crias, isso aí na tua cabeça deve ser mais animado que um hospital psiquiátrico.

    ResponderEliminar
  2. Podes amenizar a dor, mas a cicatriz está lá para te lembrar da mesma.
    Deambulamos na vida como uma manta de retalhos que apesar de remendada, ainda consegue aquecer quem nos quer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão verdade, se bem me lembro, fizeste um post parecido há pouco tempo. Um beijo

      Eliminar
  3. Gostei muito do seu texto. Infelizmente, a vida é assim mesmo e ainda bem que estamos cá para a contrariar em alguns momentos. É certo que seria fantástico se não passássemos por provações, mas evoluiríamos? Parece-me que não... Tento sempre que possível seguir o pensamento de Drumond " A dor é inevitável, o sofrimento é opcional "...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela visita Esmy, a vida tem mesmo que ser confrontada caso contrário, como tu dizes, e bem, não cresceríamos. E não morremos, logo estamos mais fortes. Um beijo para ti

      Eliminar
  4. Bom dia e feliz terça feira com razão e emoção.
    AG

    ResponderEliminar
  5. As vezes é preciso uns bons trancos para sentir o verdadeiro sentido da vida.
    Abraços ^.~

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.