sexta-feira, julho 01, 2011

Falas

Falas de Civilização, e de não Dever SerFalas de civilização, e de não dever ser, 
Ou de não dever ser assim. 
Dizes que todos sofrem, ou a maioria de todos, 
Com as cousas humanas postas desta maneira. 
Dizes que se fossem diferentes, sofreriam menos. 
Dizes que se fossem como tu queres, seria melhor. 
Escuto sem te ouvir. 
Para que te quereria eu ouvir? 
Ouvindo-te nada ficaria sabendo. 
Se as cousas fossem diferentes, seriam diferentes: eis tudo. 
Se as cousas fossem como tu queres, seriam só como tu queres. 
Ai de ti e de todos que levam a vida 
A querer inventar a máquina de fazer felicidade! 

Alberto Caeiro, in "Poemas Inconjuntos" 
Heterónimo de Fernando Pessoa

4 comentários:

  1. Uma grande verdade. Para cada um de nós há uma verdade, mas a questão é que somos todos diferentes e todos vemos o mundo de forma igualmente diferente.
    No fundo TODOS queremos é ser felizes, mas CADA UM HÁ SUA MANEIRA!
    Beijocas super doces na minha Pink xxx

    ResponderEliminar
  2. mesmo nessa altura ele já sabia muito...


    beijo

    ResponderEliminar
  3. Paulinha, beijinhos amiga!!!

    ResponderEliminar
  4. Lost soul: sem dúvida!Beijos

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.