quarta-feira, julho 20, 2011

Eu? A sério?

Uma colega de trabalho aproximou-se de mim e disse:

" Pink tu podias ajudar-me?" "Eu não estudo há 12 anos, eu sinto que não sei estar ou falar bem, tu podias ajudar-me?"
Respondi: "Eu posso ajudar, claro, se me disseres o que pretendes exactamente..."
"Pink, não te chibes, mas ajuda-me lá a ser mais calma e saber falar, eu tenho que ler um livro, eu não sei falar..."
Respondi: " Certo, tens auto-estima em baixo, ok, na próxima semana falamos"...

Não sei muito bem o que ela pretende mas pronto lá viu em mim, uma luz cor de rosa ao fundo do túnel...
Esta pessoa, tem uma história de vida FO-DI-DA... E, pelos vistos, não parou de lutar. Cresceu numa casa de crianças anbadonadas, comprou (fez crédito) casa aos 17 e trabalha como ninguém...

EU, NÃO PAREÇO, EU SOU.

6 comentários:

  1. E não tem vergonha de pedir ajuda... e de lhe dar valor

    ResponderEliminar
  2. São essas as pessoas que não me canso de ajudar :)

    ResponderEliminar
  3. Força amiga ajuda-a!
    Há muita gente que vidas fodidas por aí...
    Beijocas doces minha linda***

    ResponderEliminar
  4. Eu vou ajudá-la sim, hoje comecei por lhe dizer para não dizer palavrões no trabalho... Mas sinto que me vê como uma mentora...
    Eu, uma doida com o eu ?

    ResponderEliminar
  5. Bem, neste caso faças o que poderes para lhe ajudar, no fim, vão dizer: sim, valeu a pena!

    ResponderEliminar
  6. E tu, porque és tu, vais ajudá-la a transformar a sua história em pink. Porque essa é a tua cor e o teu dom

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.