segunda-feira, maio 09, 2016

Defender o que é nosso




Sou o que quiseres... quando eu quiser.

6 comentários:

  1. Por vezes há que ser agressivo e não desistir do que é nosso!

    (Esta mulher, faz-me criar uma conta no blogger para comentar o blog dela) lolol

    ResponderEliminar
  2. Obrigada mas vou enviar-te mail.

    ResponderEliminar
  3. Yeyyyy! Cá estou eu! Podes desativar os anónimos, para mim a combinação Nome/URL dá perfeitamente =)

    ResponderEliminar
  4. Se isto fosse nos EUA, a gaja levava com um balázio no meio dos olhos. eheheh

    ResponderEliminar
  5. Só quem os pariu sabe a dor que é perde-los, mesmo que sejam uns canalhas.

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.