quinta-feira, fevereiro 10, 2011

A minha violência doméstica

É, vou mesmo falar nisto:
Numa noite de ínicio de 2007, o meu ex companheiro, com anos de Kung Fu em cima, aplicou em mim, um "low kick", na perna esquerda, eu caí, ele ria-se como o joker, levantou-me e aplicou-me outro "low", caí, ele riu-se muito e levantou-me... Aplicou o terceiro low kick. Quando chamei a GNR,, ou tentei, partiu-me o telemóvel ao meio, liguei do outro telefone e ele fugiu.
Tinha uma móvel à entrada de casa com um espelho enorme e estava desfigurada, sangue, ´lábios inchados e o pescoço ainda negro do aperto no pescoço que ele me havia dado dias atrás em que fiquei segundos sem ver, pensei que me ia matar.
Tive que ser deitada por uma vizinha, mas ainda me levantei e arrastei-me para trancar a porta por dentro.
Tomei um comprimido para dormir e adormeci. De manha, haviam chamadas dele, do irmão dele... Eu tinha tirado o som ao telefone. Ele, foi à GNR disse o que se havia passado, quem era, onde foi, e sendo um local pequeno, até eram os mesmos agentes. Disse que estava com medo que eu tivesse cometido suicídio...
Como continuei a viver com ele, o que o tribunal considerou um PERDÃO CONTINUADO...
Embora ele negue, embora eu agora, com o Krav Magá já reconheça a gravidade do kick dele, golpe no qual eu sou boa, ele saberá sempre que me espancou, que me fez sangrar e que teve ataques de pânico que só eu aturei.
Se fui feliz?
MUITO, durante algum tempo com ele...
Os tipo de mortes que acho que os pedófilos merecem, quanto a mim, aplicam-se aos homens que espancam mulheres e ainda por cima com artes marciais... ESTOU AQUI PÁ, VIVA!!! E nunca mais me tocas!!!
NÃO SOU SUPERIOR, SUPERO-ME!

32 comentários:

  1. perdão continuado???

    recurso!

    ResponderEliminar
  2. Pedi.
    perdão continuado porque continuei a viver com aquela coisa.

    ResponderEliminar
  3. Que situação horrivel. Concordo contigo, esse tipo de homens tal como os pedófilos mereciam ser torturados com requintes de malvadez até à morte.
    Bj.

    ResponderEliminar
  4. Talvez tenhas continuado a viver com ele porque o amavas, porque na altura não foste capaz de ser fria o suficiente para mudar para fugir...
    Contudo foste capaz de fazer queixa, de sair dessa vida de violência e terror.
    Sim morte para esses cabrões nojentos.
    Aliás, acho que devia ser morte mas lenta.

    ResponderEliminar
  5. gostava de ver o acórdão

    as opiniões são o que são e valem o que valem

    mas estranho uma decisão dessas por parte da justiça

    é certo que para o bem e para o mal, já está e nada se pode fazer quanto a isso.

    a violência doméstica é crime complexo e grave, começando logo pela imposição da convivência da vítima com o agressor.

    para além da prova necessária, que se para uns basta a queixa e um relatório médico com a informação de uns hematomas mal explicados para outros não chega.

    cada caso é um caso, mas pela descrição aqui feita, o arguido devia ter sido condenado sem qualquer dúvida, nem que fosse pelo crime de ofensas à integridade física...

    mas contínuo a não perceber o perdão continuado...

    ResponderEliminar
  6. Imperator: o hematoma que nunca mais vai desaparecer, foi medido no institudo de medicina legal, a vizinha que me deitou, "lembrou.se" que eu bati em mim mesma, agora ele ter cofessado na GNR, penso que sim teria algum peso mas não teve.
    Tem ele o peso de ter batido na pessoa que mais fez por ele na vida...

    ResponderEliminar
  7. Bella, e há gente mais horrenda que este tipo de pessoas? Ah, sim, os violadores...

    ResponderEliminar
  8. Petra: sim era amor, que se transformou numa raiva e agora, gozo com ele, interiormente gozo com ele, at+e quando ele decidiu uma noite perseguir-me de luzes apagadas até casa...

    ResponderEliminar
  9. pois, a prova é sempre uma enorme merda!

    toda a prova realizada tem de ser repetida em tribunal

    depois há o não sei, o entre marido e mulher não se mete a colher

    basicamente um misto entre falta de coragem e medo, embora a maior parte das vezes é mesmo pura falta de coragem...

    mas gostava de ver o acórdão da relação que absolve

    ResponderEliminar
  10. Imperator: o que queres ver mesmo... (via mail...)

    ResponderEliminar
  11. Depois do que nos contaste só posso dizer que és uma grande mulher e com coragem eu não teria continuado a viver com ele. Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Eu sou, sempre fui e sempre serei uma grande mulher... E amei-o, muito.

    ResponderEliminar
  13. A justiça em Portugal é a coisa mais injusta que existe.
    Custa-me saber que esse filho da mãe está cá fora, e tu continuas a correr riscos.
    Mas dou-te os parabéns por seres uma mulher com coragem/tomates e conseguires falar sobre o que te aconteceu.
    Beijo grande.

    ResponderEliminar
  14. Cobarde!! (ele) e sem dúvida que te superas, nem imagino o que seja passar por isso.

    ResponderEliminar
  15. actos destes não têm qualquer tipo de perdão...

    1 beijinho

    ResponderEliminar
  16. actos destes não têm qualquer tipo de perdão...

    1 beijinho

    ResponderEliminar
  17. Tilida: da maezinha dele que até era uma sogra porreira

    ResponderEliminar
  18. João: não precisas de usar palavras, usa o coração

    ResponderEliminar
  19. Inês: fica a saber, que tal como tantos outros que (des)conheço na blogosfera, fazem parte da minha força!!!
    Um beijo

    ResponderEliminar
  20. Anuska, se me supero, principalmente quando aprendi um desporto que tem o mesmo golpe que ele me aplicou e não o vou aplicar...

    ResponderEliminar
  21. Só 1 mulher: perdoei duas vezes... BURRA, eu

    ResponderEliminar
  22. Já passei por uma situação idêntica mas ele teve o que merecia..Se calhar até demais!Mas,no fundo fiquei contente!Não consigo sentir pena...
    Fico feliz por ti :)

    ResponderEliminar
  23. Eu distingo os dois. Não os coloco no mesmo saco. Acho impossivel!

    Um pedofilo abusa de alguém inocente e indefeso, no mais puro conceito destas palavras.

    Um agressor é um parvalhão. Dos grandes. E um ser bem pequenino.

    Ambos horriveis, claro!

    Lá está, eu acho que há bastante gente por aí que não merece o ar que respira... Mas isso sou eu que tenho mau feitio!

    O que me faz especie é que há mulheres que aguentam serem mal tratadas anos a fio e outras que maltratam quem as trata bem...
    É a vida, acho!

    ResponderEliminar
  24. Miguel, sim, tens razão... Ou é outro ponto de vista, eu não aguentei anos a fio e nem foi isso a causa da nossa separação mas eu amava-o... E não é desculpa mas é o único motivo que apresento e que é verdadeiro...

    ResponderEliminar
  25. Falava no geral...

    Depois, cada caso é um caso e tem as suas particularidades.

    Um gajo que bate numa mulher pode ser muita coisa mas Homem não é de certeza...
    Enfim, ultrapassa a minha compreensão mas também já percebi que sou bastante limitado em algumas coisas...

    ResponderEliminar
  26. Só vou dizer isto, infelizmente temos mais este ponto em comum. O homem que mais amei, foi o que mais mal me fez! Chegou à violência, ainda que nada de tão grave como o teu caso. Se bem que violência, é violência.

    :s

    ResponderEliminar
  27. CoisasDagaja: e isto foi só um episódio, o restante irei relatar quando me der na cabeça... Lamneto que tenhamos isto em comum também... Um beijo

    ResponderEliminar
  28. Viva
    devias de ter feito queixa logo na primeira vez, quem faz a primeira faz para sempre, e algum dia a coisa fica grave demais.
    Ainda bem que te livraste da besta, e agora com o teu Krav Magá se o vires vê lá se lhe partes o canastro.
    Bj
    p.s. - realmente essa do perdão continuado só mesmo com a nossa lei, parece o faroeste.

    ResponderEliminar
  29. Isto não é uma pessoa, um gajo que bate numa mulher, é uma merda com pernas!

    Espero que já esteja tudo resolvido e que já não estejas com ele.

    Uma coisa que não tem nada a ver, se a foto do teu perfil for tua, tenho uma tatuagem muito parecida com a tua na minha omoplata direita

    Beijocas, és uma corajosa!

    ResponderEliminar
  30. Olá!
    Vim retribuir a visita e saltei para este post. Que horror! Detesto a violênca e em particular sobre mulheres. A violência doméstica é uma situação terrível. Mas ainda bem que a ultrapssaste!

    ResponderEliminar