terça-feira, fevereiro 15, 2011

Como existem várias formas de amor...

Ontem lá fui eu com o meu amigo, que me dá colinho, que me lê os pensamentos...
Acabámos a noite a jogar PS às gargalhadas... E saltos
Restaurante divinal, boa conversa e boa sangria...
NÃO SOU SUPERIOR, SUPERO-ME!

4 comentários:

  1. Por vezes somos muito mais felizes com as outras formas de amor do que com a dita, convencional.

    ResponderEliminar
  2. Foi mesmo muito bem Vera, o amor convencional, pronto, fica no lugar dele...

    ResponderEliminar
  3. Amar é sobretudo sentirmo-nos bem connosco próprios, de preferência na companhia de outra (s) pessoa (s), porque tudo o que é bom, momentos incluídos, devem ser partilhados. Por agora já me contentava com uma sangria.

    ResponderEliminar
  4. Miguel, querido, a sangria estava doce demais... segundo ele, pois para mim, estav no ponto!

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.