sábado, fevereiro 05, 2011

E é sempre como se fosse a primeira vez



É sempre como se fosse o primeiro beijo, o primeiro rompante na nossa alma... E ainda bem que nos podemos dar a estes luxos de amar...
NÃO SOU SUPERIOR, SUPERO-ME!

2 comentários:

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.