quarta-feira, janeiro 26, 2011

O que sempre vai existir

A realidade negada irá sempre existir, existirão sempre os escapes, que, socialmente bem aceites, se chamam de hábitos e até vícíos.
É dura a realidade negada, dói, magoa, faz-nos gritar ao vento que o mundo é injusto, que a vida é injusta e que não o desejamos. Não A desejamos, a tal de realidade com quem outros lidam bem, ou assim aparentam. Fernando Pessoa, não gostava da sua realidade, foram necessários muitos nomes para que esta se tornasse suportável mas havia o ópio.
O ópio de algumas mulheres é o seu homem e vice versa. De tudo isto concluo que nada é saudável, que o mais saudável é um dia, pormos tudo para trás, mudar, um dia ter a coragem e entrar água adentro sem parar até doer a cabeça do frio. Faltar a um exame porque sim, chorar muito muito mas mesmo muito porque estamos tristes, alegres, emocionados e agradecidos.
Agradeço uma realidade que quero negar mas quem tem vencido as batalhas sou eu...
NÃO SOU SUPERIOR, SUPERO-ME!

2 comentários:

  1. A partir do momento em que aceitamos a nossa realidade,os nossos medos e por aí adiante,a visão que temos da vida é sempre a verdadeira.Deixamos de sonhar com utopias e ilusões.

    ResponderEliminar
  2. No fundo dizes para sermos como as crianças... a criança chora quando não está contente, ri quando está feliz, faz o que lhe apetece, e vive num mundo maravilhoso. E é tão bom ser criança e fazer o que nos apetece.
    Bj

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.