sábado, janeiro 29, 2011

Na primeira pessoa

O tempo. O tempo passa e eu não me vou ralar... Eu gosto do que sou, se tenho arrogãncia nas palavras? Tenho carinho na mesma quantidade, se tenho lágrimas na cara? Tenho também um sorriso quando o resto do mundo fecha a boca e fica sisudo.
Eu não me orgulho de tudo o que digo mas orgulho-me de NUNCA ter desrespeitado os direitos básicos dos outros mas também não tentem insultar a minha inteligência, eu tenho orgulho em ser do Sul, em ter como "lar", Albufeira, tenho orgulho do meu sotaque, tenho garra para viver e, às vezes, sobreviver... Sabem do que tenho mais orgulho? Provavelmente nem vos interessa mas eu digo, nunca deixei de ser eu, nunca deixei de ser solidária e agradeço a quem me educou (entre pai, mãe e madrastas) e agradeço a existência de pessoas especiais, que podem até nem saber que eu existo mas existem... Agradeço a escrita de Pedro Paixão, que leio com loucura, de fernando Pessoa, de pessoa boas e das más que me tornam mais forte...
Não tenho a blogosfera como vida, tenho vida na blogosfera, apenas isso e se não gostam, meus amigos e inimigos, não comem!
NÃO SOU SUPERIOR, SUPERO-ME!

3 comentários:

  1. Gostei disto!!!
    Primeiro orgulho em nós,sim porque devemos isso a nós mesmas

    ResponderEliminar
  2. Gosto de lerte, pois inspira-me à superação.

    BJ.

    ResponderEliminar
  3. Precisamente! quem quer "come" quem não quer põe na beira..
    ;)

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.