sábado, agosto 27, 2011

O resto do mundo



Quando se vive abaixo do chão,não se pode nada, nada se quer e nada se pensa. Aqui entra quem nasceu com uma estrela na testa, que exista muita cumplicidade entre o pensamento daquele que tem e a situação de quem se julga "o resto do mundo". Porque tomos somos alguém, todos temos direitos. Porque não acabar com a crise de valores? Sabem o que significa, uma simples tenda para um sem-abrigo, uma manta mais felpuda, um banho?
Dinheiro gasto em festivais de gastronomia, pagamentos astronómicos a cantores para s festas populares, quem se lembra dos que não estão alegres? Dos que não têm um chave no bolso porque não existe um lar?

Não sou superior, supero-me.

2 comentários:

  1. ...sim, quando nos preocupamos com o acessório e diariamente, para dar um exemplo, morrem de fome na Somália entre 30 a 40 crianças.
    há algo básico e elementar que não está funcionando...

    beijo e minha admiração, inté!
    ubunto em ti.

    ResponderEliminar
  2. ...sim, quando nos preocupamos com o acessório e diariamente, para dar um exemplo, morrem de fome na Somália entre 30 a 40 crianças.
    há algo básico e elementar que não está funcionando...

    beijo e minha admiração, inté!
    ubunto em ti.

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.