terça-feira, agosto 16, 2011

Moleskine

Sempre achei que, lá porque o grande PICASSO, usou estes cadernos de apontamentos, quem quer desenhar, anotar ou escrever, pode usar algo mais económico e ... quiçá reciclado!
Agora, um português, foi convidado a desenhar as capas dos famosos cadernos. Óptimo o nosso (dele) talento reconhecido enquanto pobrezinhos portugueses que frequentam o Banco Alimentar.
Como o rapaz de 32 anos vai ilustrar as capas, NA MINHA OPINIÃO, podiam usar-se poemas de Pessoa, os trajes de cada região... etc.
Porque quem quer escrever, pintar e anotar...
Em tempos conheci um cientista de renome em Portugal e fora (que põe qualquer menino cheio de mariquices e coisinhas chiques a um canto) com o seu trabalho... o seu bloco de notas? Os talões do combustível, os talões do supermercado...
Um dia encontrei nas tralhas que a minha mãe me dá da farmácia um bloco, com caneta incorporada que era mesmo do tamanho do bolso da camisa, claro que ficou com melhor organização mas não gastou (e podia) € num Moleskine...
Os meus parabéns ao português que irá dar a cara aos cadernos mas a minha opinião acerca dos mesmos continua a mesma: desperdicío de dinheiro e qualquer caderno, qualquer superficíe serve para voarmos longe com o que gostamos de fazer...
Adenda: e é no que gostamos de fazer, que, ao fazermos, encontramos conforto, na minha pouco modesta opiniõa

EU, NÃO PAREÇO, EU SOU.

8 comentários:

  1. É verdade o que dizes, tem mais importância o que se escreve/desenha, do que o receptáculo.

    No entanto, e pessoalmente falando, uso Moleskine há anos, ainda nem se usava em Portugal, ou pelo menos não era conhecido. Semprei gostei do formato, uso Diário, Bloco Notas de linhas e liso para esboço.

    É uma questão de... conforto.

    Beijo
    Z

    ResponderEliminar
  2. Tem um formato familiar, a que estou habituado. E como sou um animal de hábitos, cá canta o Moleskine...

    ResponderEliminar
  3. Concordo contigo Pink... eu também escrevo no que apanho á mão...

    ResponderEliminar
  4. Digamos que é mais in do que um bloco ou umas folhas soltas.

    Parabéns ao Português. Que uso os mesmos para divulgar a nossa cultura.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Eu cá conheço quem não seja nenhuma artista, e use um moleskine para anotar os nomes dos gajos com quem dá umas...
    Aliás, ela até lhe chama black book lool

    Não, não sou eu, o meu caderninho de apontamentos custou 1,50€ na loja nos chineses, é branco e tem um relevo tipo pele de crocodilo. ;)


    Beijocas querida

    ResponderEliminar
  6. Foi moda à qual nunca aderi. Se visses o molho de papéis onde tenho anotadas ideias para textos, até te passavas!

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  7. Venúsia... Jesus!!!

    Eu uso um caderno de papael reciclado que custo €1 no jumbo...
    Fora isso, até blocos do Viagra 8ter mãe farmaceutica dá nisto) já usei...
    Mas jamais para escrever nomes de quem fodi... isso era mais rolo de papel higiènico

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.