sexta-feira, maio 27, 2011

Safira, bem instalada

Os meus dois gatos, são assim, pronto... apanhados do clima...
Gastei um balúrdio em duas casotas mas as bestas, agora escolheram o "spot" ideal.


EU, NÃO PAREÇO, EU SOU.

15 comentários:

  1. Você é enigmática, seja pelas fotos do outro blog, seja pelos textos que pude ler. Me deixou a pensar bastante.. beijos!

    ResponderEliminar
  2. Nós também gostamos de escolher o nosso "spot"!! ;)

    ResponderEliminar
  3. Eu sou um gato...miauuuuuu
    :)))

    ResponderEliminar
  4. Os gatos só fazem o que querem, sabes disso :))

    beijinhos

    ResponderEliminar
  5. normalmente eles escolhem sempre o melhor para eles lool gira... a safira ;p

    bjs

    ResponderEliminar
  6. Já devias saber que no que toca a felinos, eles é que mandam...

    Dogs have owners, Cats have stuff ;-)

    ResponderEliminar
  7. Gerente: obrigada. Bem Vindo. bjs

    ResponderEliminar
  8. Malena, tens razão... Um beijo e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  9. Von, anda cá para eu te fazer umas festinahs e ronronas para mim...

    ResponderEliminar
  10. Fé. ah, ah, com gatos não resistes amiga!! Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  11. Sérgio, aquela estante é de verga, fica estragada com excesso de peso e o Zeca, a outra estrela, pesa 7 kilos, esta ainda vai mas ele...
    A stuff é minha e eu comprei a stuff deles...

    ResponderEliminar
  12. _FP_ dizem que etr ar de puta por a coleira condizer com a cor do focinho... :(

    ResponderEliminar
  13. O meu também tem um cantinho todo catita que me deram de prenda quando tomei a decisao de ter um miau e foi lá tirar umas sonecas meia dúzia de vezes...
    Agora, tudo o que seja coisa que nao precise de pelo, lá está ele refastelado... Escolhas. Vá se lá saber :)

    Beijo

    ResponderEliminar
  14. Eles é que sabem onde se sentem bem! ;D

    ResponderEliminar
  15. bem que os gatos e que sabem o que querem não os donos!:D

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.