terça-feira, maio 03, 2011

Dos monstros da vida

"Estou possuído"
"Tenho dupla personalidade"
Ah! Ah! Só se for possuído pela sensação de se ser um mal amado e de ter uma vida pela frente a ser o que não admitir: que é monstruoso. Os monstros são seres (não humanos) que pensam e mudam as conversas para o seu lado e se alguém lhes chama monstros, ficam chocados, choram as suas lágrimas de crocodilo e tomam decisões que deveriam ser sob consulta de outros mas não, o monstro não precisa. Usa símbolos de quem diz amar e não corresponde e agarra nessa pedra como se de um relógio se tratasse. O monstro não distingue o bom do mau e quando tem alguém bom na sua vida, faz o possível para a magoar.
Não desejo felicidade, não desejo infelicidade, apenas desejo que eu não me cruze com monstros, principalmente os que se julgam mais amigos, mais solidários e diferentes... Só se for na sobrancelha! De resto, não é estar possuído, é mesmo ser monstruoso!

NÃO SOU SUPERIOR, SUPERO-ME!(e não comprem guerras comigo)

7 comentários:

  1. Exactamente! Este post vem corroborar o meu comentário abaixo.

    ResponderEliminar
  2. Também não gosto desses mosntros que descreves

    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Anónimo3/5/11 23:24

    Os monstros são como o outro lado da Lua. Não se vêm mas estão lá.
    Lá e cá e dentro e perto de cada ser humano.
    e,
    Ainda bem que assim é, e sempre será.
    De nada vale querer tapar o sol com a peneira e brincar ao capuchinho vermelho, com verdade versus falsidade, porque no fundo lá bem no fundo, o que se trata são de interesses, circunstanciais ou não.
    As pessoas são o acessório e o meio ou não a utilizar em determinadas situações que objectivamente interessam ou satisfazem os objectivos do MONSTRO.

    LIsboaemBerlim

    PS:Não percebo a razão da censura a um comentário que efectuei. Obviamente que a casa é tua e só lá entra quem tu quiseres…

    ResponderEliminar
  4. LisboaemBerlim, provavelmente esse comentário tocava num ponto sensivel. Existem metade de comentários que merecem ser publicados mas a outra metade... mexe em feridas..,
    Mas és um dos anónimos que é bem vindo!

    ResponderEliminar
  5. eu gosto desses monstros... assim tenho a certeza do bonzinho que sou com todos os meu defeitos

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.