quarta-feira, abril 27, 2011

Fiz? Não sabia.

Sabem que, apenas eu, só eu e mais ninguém pode abalar o que existe em mim?
O facto de eu me amar.
E por favor, falem mal de mim, deturpem o que digo, façam-se de coitadinhos, delirem em vez de estarem internados, chamem-me nomes mas por favor, falem de mim.
Chamadas anónimas? Força.
Chamarem-me nomes? O Krav Magá ensina-me a ignorar que palavras toquem a minha mente. Pelos menos as que são um monte de mentiras a meu respeito.
Gostam de mim?
Gostem como sou.


E um beijo muito especial à Paula, que, jamais me julgou e apenas questionou como amiga, e eu, como amiga assim o fiz, respondi-lhe a verdade.
O resto é um "quetefodas" para todos os que tentam descobrir a "loja" (onde se compram guerras... )

NÃO SOU SUPERIOR, SUPERO-ME!(e não comprem guerras comigo)

4 comentários:

  1. Eu agora já sei o que é o fung-gá-gá, ou coisa parecida, pelo que garanto que não te chamarei nomes!

    ResponderEliminar
  2. lol, rafeiro... Eu jamais te aolicava um golpe... mesmo que me chamasses nomes... Palavras (ocas), o vento encarrega-se delas e as tuas são muito respeitosas...

    ResponderEliminar
  3. E nem mais. As pessoas que se metam nas suas vidas. E larguem as dos outros!

    ResponderEliminar
  4. Lindinha,
    Quem sou eu para julgar seja quem for??? Não sou perfeita. Ninguém o é! E ACEITO-TE COMO ÉS! POis é isso que te faz unica e especial.
    ADORO-TE MIUDA!!!!

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.