sábado, novembro 06, 2010

Ou se tem ou não se tem!

Hoje li numa revista, uma entrevista a esta "escritora" que dizia que um romance é muito dificil de escrever e teve a ajuda de uma "espécie" de personnal trainner" para a ajudar a escrever...

Ò D.Bárbara: QUANDO SE TEM A ESCRITA NA VEIA, AS IDEIAS SAEM ANTES DE OS DEDOS AS PUDEREM EXPRIMIR. SE PRECISA DE AJUDA, ENTÃO NÃO É UMA BOA ESCRITORA, NA MINHA OPINIÃO.
Depois ainda disseram que agora era colega de prateleira de Virgílio, Pessoa, Castelo Branco (Camilo, não a "Aberração " de Sintra, Bicha castelo branco, que até me parece boa pessoa, e não condeno os tiques dele, mas MEUS DEUS, este TAMBÉM ESCREVEU UM LIVRO? Seriam as folhas Channel?

NÃO SOU SUPERIOR, SUPERO-ME!

6 comentários:

  1. Por alguma coisa eu não leio escritoras portuguesas....são demasiado profundas para o meu gosto...

    ResponderEliminar
  2. Inês, pois, eu leio homens (!), só agora percebi que só leio escritores... Mas o que doeu na alma foi ser colega de prateleira dos grandes que escreviam em mesas de café, sob o efeito de ópio ou alcóol...
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  3. Então e a Isabel Leal? Pink e Inês? Gostam?

    ResponderEliminar
  4. Pink:de facto assustou-me o facto de a senhora estar nessa prateleira....lá estou os desgraçados a dar voltas nos túmulos.
    Nunca li Isabel Leal?É bom?
    A única escritora portuguesa que leio é a Isabel Stilwel ( a que escreveu os romances biográficos das rainha.)

    ResponderEliminar
  5. O que sei da Isabel Leal, se for a que estou a pensar, é psicóloga mas acho que nunca escreveu algo "chamativo"...
    Aguentem-se prateleiras!

    ResponderEliminar
  6. Há grandes escritoras portuguesas...

    Até nos blogues...

    Pode ser por aqui...lol

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.