sábado, julho 23, 2016

Alguns dos meus seguidores

com a nova modalidade de "bastar clicar" para seguir, eu não consigo, aparentemente estou cheia de cookies e merdinhas que etenho que resolver com o blogger e comigo. Ontem, eu e o pinko, decidimos, estar lado a lado, com as contas abertas e ver quais as diferenças das definições da minhas para a dele.

Farto de não conseguirmos, ele decidiu tomar alguma iniciativa.

Aqui está...




O que quero, quando eu quero, aceitas?

11 comentários:

  1. Obrigado pela homenagem... pela amizade e pela integridade de tuas ações comigo!
    Um grande abraço ..... eu não te sigo nem sou teu seguidor (somente!) ... sou teu admirador!!!!
    Um doce beijo!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para alegria de muita gente, inveja de outra e felicidade nossa, a nossa amizade até é homenageada pelo meu marido. Melhor do que isto? Só os três numa praia a tomar uma água de coco em amena conversa e ver rabos grandes, o pinko adora um bom rabo de saia e eu adoro nadar!

      Eliminar
  2. Acho ser um Pinko de bom gosto ao seguir o Delírios de Amor e Sexo

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Bem, não entendi o que está acontecendo com os teus seguidores, se vc explicar melhor, talvez eu possa ajudá-la!
    BJOS

    ResponderEliminar
  4. Vou mandar mail com a mensagem que aparece :))))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou pesquisar mais e se achar algo, te envio novamente outra solução!

      Eliminar
    2. Ah, quem tem uma deusa na vida tem tudo , obrigada meu amor!

      Eliminar
  5. Olá!

    Grato também por tê-la como seguidora em meu blogue e pelo contato que temos mantido aqui na internet.

    Seja sempre bem vinda.

    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá querido.
      Não sei se sabes quem é o Pinko. O Pinko é o marido da Pink, eh eh eh ...
      Gosto do seu blog...
      Um beijinho.

      Eliminar
  6. Epah assim sendo vejo k fui uma das 5 primeiras pessoas que ele seguiu :D

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.