quinta-feira, novembro 11, 2010

Dedicado a ELE, do blog FalodeTi

Alma Serena
Alma serena, a consciência pura,
assim eu quero a vida que me resta.
Saudade não é dor nem amargura,
dilui-se ao longe a derradeira festa.
Não me tentam as rotas da aventura,
agora sei que a minha estrada é esta:
difícil de subir, áspera e dura,
mas branca a urze, de oiro puro a giesta.
Assim meu canto fácil de entender,
como chuva a cair, planta a nascer,
como raiz na terra, água corrente.
Tão fácil o difícil verso obscuro!
Eu não canto, porém, atrás dum muro,
eu canto ao sol e para toda a gente.



Fernanda de Castro, in "Ronda das Horas Lentas"
NÃO SOU SUPERIOR, SUPERO-ME!

2 comentários:

  1. Pink, fiquei....
    Tudo foi bom, deste o texto até ao meu mar que me mostras-te grande e poderoso.
    Esta onda mitica de Mavericks é um local que me chama mas que me apavora, e que me mete tanto medo e respeito e sem querer... deixaste-me com aquele frio na barriga. Por não esperar tal supresa principalmente.
    Amei de coração... és linda!
    Obrigado!!!! MESMO, PP!!!!

    Ele com tantos beijos quentes <3 para e só para ti =O)

    Vou estar sempre por perto... até já!!!

    Elíssimo

    ResponderEliminar
  2. Ainda bem que gostaste... Um beijo

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.