sábado, março 31, 2018

O poder da Natureza é infinito, eu sou natural.

1 comentário:

  1. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.