sábado, 30 de junho de 2018

Do alimento

Alimento monstros dentro de mim, da mesma forma como alimento alegrias, sonhos enquanto estou acordada.
O meu corpo é o monstro que de vez em quando está debaixo da tua cama. E dentro do teu pensamento.



O poder da Natureza é infinito, eu sou natural.

3 comentários:

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo (se fores uma besta quadrada, nem vale o esforço de escreveres).