quinta-feira, agosto 11, 2016

Encaixe

Estou deslocada, com o Norte e o Sul tão evidentes. De salutar o sitio onde cresci, onde aprendi a estar, a ser o que sou, a lidar com o que sei lidar e não sei lidar com tudo.

Quero uma brisa forte na cara mas quero que a humidade fique de lado. Quero ver as ondas a nascerem lá ao fundo e a virem a pouco e pouco a rebentarem e libertarem toda a maresia para a minha pele.
Deixem-se dominar por aquilo que querem, por aquilo que sentem, dominem por vós próprios, sejam aquilo que quiserem e sim, a liberdade dos outros... ah e tal...
Sim, serei a música da surpresa, sim serei o cetim da surpresa, por que eu quero e neste momento a minha vontade impera. os meus gostos imperam.
Easy came, easy go.

Easy fuck.



O que quero, quando eu quero, aceitas?

8 comentários:

  1. Encaixamo-nos em qualquer lado, a nossa força para habituaçao é grande, por isso não estas nada deslocada, apenas ainda não te habituaste.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confesso que não te sei responder...

      Eliminar
  2. Quem assim fala/escreve mostra o que lhe vai na vontade e na alma. Todos devem ser aquilo que querem ser e não aquilo que os outros querem que sejam ( dentro da lógica e beleza da vida como é evidente )

    Bjuuuuu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu nem sou o que quero, quando vi, já disse o que penso :)

      Eliminar
  3. Fernando Pessoa redivivo, com suas inquietudes e incoerências....!!!

    ResponderEliminar
  4. Devemos ser apenas nós próprias, tal como ter as nossas vontades. Ser a surpresa e surpreender. Gostei do texto.

    Beijoos
    Anjinha Sexy
    http://prazeresecarinhossexuais.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.