quinta-feira, agosto 11, 2016

Poesia





O que quero, quando eu quero, aceitas?

12 comentários:

  1. Com amor ou sem amor, o objetivo é sempre o mesmo:
    Nos comer!
    kkkkkk
    BJOS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gosto do sorriso, há coisa mais bela?

      Eliminar
  2. Não há dúvida. Há que ter o sentido prático das coisas.
    Lucas

    ResponderEliminar
  3. Ahahahaah... dando gargalhadas

    Pelo poema que tu apresentaste
    São esses pequenos, grandes nadas
    Que meu carinho conquistaste
    ,,,,

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.