quinta-feira, dezembro 30, 2010

Misturas

Misturam-se nas nossas cabeças tanta coisa que, o que é bom, nos provoca desconfiança. Assim, não aproveitamos o que temos à frente e apenas ficamos com "a pulga atrás da orelha"... Eu não sou assim e, devido a isso, já tive óptimos resultados e catástrofes na minha vida. Mas eu não sou assim, digo na cara das pessoas o que sou, refilo, esperneio, argumento, uso uma boa retórica e oratória...
Não vos chega?
NÃO SOU SUPERIOR, SUPERO-ME!

10 comentários:

  1. E não é bom dizer o que se tem a dizer???
    É maravilhoso!!!

    Um 2011 com muitos momentos felizes!!!
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. A mim parece(s)-me bem! :P

    Um ano cheio de jufas! :D

    ResponderEliminar
  3. Querida amiga:
    Roubei um bocadinho ao tempo para vir aqui e desejar-te um excelente 2011.
    Até lá!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Bom ANO para ti PP
    Que tudo que mais queiras se possa realizar durante este ano q vai entrar.

    Beijos côr-de-rosa para ti =)

    Ele

    ResponderEliminar
  5. Sim chega perfeitamente.... acima de tudo ser-se frontal! BOM ANO!

    ResponderEliminar
  6. Pis, eu sou mesmo assim frontal... curiosamente consigo ser maquiavèlica e o ser mais carinhoso do mundo... Não é ser bi-polar, é existir gente que me obriga...
    beijos

    ResponderEliminar
  7. Bloguótico: onde é que tu anadvas seu safardanas?

    ResponderEliminar
  8. Quem ainda não perdeu amizades, por apenas dizer as verdades? Quem ainda na merda não ficou, por dizer aos outros "assim sou"!? Ninguém? Bolas... serei assim tão diferente ou não sei lidar com a gente, que prefere que lhes mintamos e fica a sorrir contente! Odeio cinismos e hipocrisia, gente falsa e superior, adoro os que falam da alma e assim se flui com calma! Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Que bom que todos acham que chega... É que outros julgam nem ser necessa´rio, "essa coisa" da frontalidade... Qunato mais mentira, melhor!

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.