quinta-feira, dezembro 16, 2010

Carinho

Entra. Deita-te e encosta-te a mim, sabes que vais sentir a minha mão nos teus cabelos, os meus lábios na tua mão, na face e nos lábios. Vou aquecer-te, vou proteger-te, serei o teu porto seguro até à alvorada... Depois, viajamos para o Monte Olimpo.


NÃO SOU SUPERIOR, SUPERO-ME!

5 comentários:

  1. Volta e meia passo por aqui, é sempre gratificante ler o que escreves. A força que transmites na tua escrita toca bem fundo nesta alma da madrugada.
    Talvez um dia, quem sabe, te venha a conhecer.
    bzz

    ResponderEliminar
  2. Uma prenda para ti, um poema de Mário Cesariny.
    (adoro e tem tudo a ver)

    Em todas as ruas te encontro
    em todas as ruas te perco
    conheço tão bem o teu corpo
    sonhei tanto a tua figura
    que é de olhos fechados que eu ando
    a limitar a tua altura
    e bebo a água e sorvo o ar
    que te atravessou a cintura
    tanto tão perto tão real
    que o meu corpo se transfigura
    e toca o seu próprio elemento
    num corpo que já não é seu
    num rio que desapareceu
    onde um braço teu me procura

    Em todas as ruas te encontro
    em todas as ruas te perco


    bzz

    ResponderEliminar
  3. Amiga:
    Muito sugestivo, eu sei!
    Não conhecia e adorei!

    beijinhos e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  4. Eterno, mimos para a Pink... sim bem vindos... Ainda bem que gostas do que escrevo... Um beijo

    ResponderEliminar
  5. Fê; sabias que ias gostar...
    (o meu gatucho está melhor...)
    Bom fim de semana

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.