segunda-feira, junho 14, 2010

Sou eu a PATENTE

Eu quero ir a uma dimensão diferente.
Queria entender algumas coisas e saber explicar melhor outras. Percebi que, nem só no amor, existem problemas de diálogo entre pessoas com 10/15 anos de diferença de idades. Percebi que não se é bom porque se descobre algo e se regista a patente; isso é resultado de trabalho. Descobri que sou uma patente e que os meus pais a registaram. Não me acho única mas acham-me única. Dou a informação pelo preço que a compro. (imagem minha)

NÃO SOU SUPERIOR, SUPERO-ME!

2 comentários:

  1. Somos seres únicos e ainda bem!! Temos que essencialmente gostarmos e nos aceitar tal e qual como somos! Só assim podemos gostar e entender o próximo...

    Beijos

    ResponderEliminar
  2. Aceitar-mo-nos já é um passo importante, o resto são pormenores ;-)
    Um beijinho

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.