sábado, junho 19, 2010

Yes I Do

Sim: Existo Dentro do Meu Corpo

Sim: existo dentro do meu corpo.
Não trago o sol nem a lua na algibeira.
Não quero conquistar mundos porque dormi mal,
Nem almoçar a terra por causa do estômago.
Indiferente?
Não: natural da terra, que se der um salto, está em falso,
Um momento no ar que não é para nós,
E só contente quando os pés lhe batem outra vez na terra,
Traz! na realidade que não falta!



Alberto Caeiro, in "Poemas Inconjuntos"

Heterónimo de Fernando Pessoa
NÃO SOU SUPERIOR, SUPERO-ME!

10 comentários:

  1. Por isso se diz: ter os pés bem acentes na terra ;)

    Beijos

    ResponderEliminar
  2. Um texto cru de Fernando Pessoa, este era o seu lado desencantado.
    Bom domingo

    ResponderEliminar
  3. o sol não cabe na algibeira,

    mas gosto dele lá bem no alto para me permitir ver a realidade.

    quanto à lua, gosto da sua claridade sombria..

    ResponderEliminar
  4. Fê: o lado desencantado de Pessoa, encanta-me... Afinal é uma realidade para muitos e em muitos dias...



    Essência: já nem sei se é assentes na terra ou largar tudo e desaparecer

    ResponderEliminar
  5. winkle (saudades), sim o sol fica bem lá em cima mas às vezes o escuro é tão aconchegante. Beijos

    ResponderEliminar
  6. mas isto anda transformado num blog de Senhoras O.o... adoro este gajo

    ResponderEliminar
  7. Descobri umas pessoas bem simpáticas... Ciumento...

    ResponderEliminar
  8. sou nada ciumento :P

    Ola Winkle, beijoca :D

    ResponderEliminar
  9. sou nada ciumento :P

    Ola Winkle, beijoca :D

    ResponderEliminar
  10. Pois, sabes que és único...

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.