Absorve-me mas em várias fracções

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Vesti a paz

E vesti a paz.
A paz temporária que a adrenalina provocou . Há aqui uma antítese  como na vida real, episódios que nos despem a alma, que nos despem de sono e nos preenchem de uma existência que não a nossa.
Um fechar de olhos que queremos dure para sempre, aproveitar cada minuto, observar sem saber que a cegueira do fascínio me toldava o pensar.
A voz.
A voz que me embala, que me acalma, a voz que aconselha...
Acaba por ser a voz do demo a mentir e a transmitir merda alguma.
Porquê ir?
Porque volto, engulo muita coisa, sapos não !

imagem minha sem direito de partilha


O poder da Natureza é infinito, eu sou natural.

8 comentários:

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade.Nietzsche
Deixa aqui algum bálsamo.