segunda-feira, agosto 30, 2010

Levitar?

Sim, talvez... Porque não?
Deixa os teus braços abrirem e deixa que te abraça a força que te chegou a ti. Usando meios incobertos para se dar a descobrir, a força chegou a ti e trata bem essa força.
Forças iguais não existem na vida, cada uma usada para objectivo diferente. Deixa a força pairar sobre ti, andar à tua volta, fazer-te rir ou chorar, fazer-te falar aquilo que não pensavas dizer, fazer-te ouvir aquilo que pensavas não ouvir.
Tens essa força que levita ao teu lado, que inspira ao teu lado, que expira ao teu lado... Mas sim, é ao teu lado que ela levita. Que ela acontece, que ela adormece, que diz baixinho em todos os instantes: "eu, estou aqui". Levitas com a força, comigo ou levita-se apenas?
NÃO SOU SUPERIOR, SUPERO-ME!

1 comentário:

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.