terça-feira, abril 11, 2017

Por ti

Assim ser porque somos , querer porque sonhamos, lutar para nos tocarmos... Assim, sou eu que olho pouco para ti pois prefiro sentir - te. A ti que és tão meu, como da liberdade que te dou.
Por ti.



Sou uma força da natureza, não tentes destruir - me...

1 comentário:

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.