quinta-feira, dezembro 15, 2016

Calada, nem poetisa...

Dizem que as pessoas quando falam silenciam.
Sim, acreditam. Pessoas com uma boa retórica e oratória, sem um público alvo, sem aquele seu alvo de estimação. Não silencia, parece gralha, cana rachada e disco riscado. E a carneira é sempre mesma, "ai eu amo-te tanto, somo uma só"Antes uma boa música do youtube do que palavras sempre, mas sempre zzzzzzzzzzzz, dirigidas ao mesmo público.
Essa gente não fode? Não tem orgasmos? Fazem bem à pele , ah bom por isso os cremes de mil euros, não há orgasmos, compra-se cremes.



 

Sou uma força da natureza, não tentes destruir - me...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.