segunda-feira, setembro 26, 2016

Não foi Krav mas foi lindo

(a pessoa interveniente, isto porque uma hater decidiu gozar com artes marciais, devia saber que estas são para respeitar, ora bem: esta pessoa completou o curso do Rangers em Valongo tal como o meu treinador de Krav Magá, praticava uma arte Marcial e fazia combates na Tailândia daqueles que se começa com o golpe mortal, sabes ISA, quando se arrisca a vida por amor à arte e para sustentares a tua filha... 
Esta pessoa, fazia flexões em cima de 3 dedos, era segurança e , para quem gosta de artes marciais, ensinava muito, tinha 37 anos quando o conheci e vivi com ele um pequeno sonho e treinava desde os 5, respeito aos mestres e a quem treina) 


Durante a noite, o mundo descansa e tu, só tu me podes encontrar naquela praia. Ouvi a tua voz, voltou tudo, voltei a ver os castelos que construimos nas dunas e quando respirávamos na boca um do outro. Éramos dois que tinham um amor em comum. Vias nas nuvens que tanto gosto, o meu sorriso, via na relva as tuas manobras marciais...
Se as rochas daquela praia falassem diriam que o meu sentimento era mais duro que elas, se as ondas falassem diziam que quando voltavam viam o mesmo: um mundo de duas pessoas num castelo nas dunas.
Podíamos ser tudo, fazer tudo. Vi-te a treinar e ali ficava a dizer às rochas:"É ele, estão a ver?. Éramos o futuro e um passado que pouco partilhámos. O oceano dizia que a sua força se regia por verdadeiros sentimentos, daqueles dignos do meu Monte Olimpo. Deuses que riem conosco, adivinham o que vai ser feito e anunciam o que é sentido.
Reagias
Todos os teus sinais evidenciavam um passado ligado ao respeito militar e à luta
Choravas
Quebravas limites para me puxares pela camisola, dares-me um beijo e ires cumprir as tuas responsabilidades
Abraço teu, era sorriso meu, abraço meu, era amor para ti.
Foste mais do que pensei, foste mais do que julgavas ser, foste mais além.
E davas-me sempre um abraço, no fim de cada conversa, cada momento nosso, cada saída do nosso castelo.


SOU ÚNICA, o mundo está cheio de cópias..

9 comentários:

  1. Boa tarde.
    Gostei de ler o conto. Lindo.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Olá amiga, não é conto, aconteceu...

    ResponderEliminar
  3. Gostei do texto, bonito :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ele era um bocado de mau caminho, era sim senhora!

      Eliminar
  4. Através do link no prazeres e delirios cheguei aqui tendo gostado muito da textura do blogue e dos temas aqui expostos. Gostei deste tema que parece ser escrito na base de um sonho ou de um desejo que se tenha por alguém e se quisesse passear pela areia da praia na sua companhia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá flor, este texto relata um amor de Verão alguns anos antes de casar... Beijinhos

      Eliminar
  5. Recordações que ficam na memória para sempre,e que nos fazem viver.

    Beijo grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fui muito feliz nesse verão, durou pouco mas foi tão cheio de pequenos gestos!

      Eliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.