terça-feira, setembro 06, 2016

DE tanto amar no meu abrigo



Eu tenho um abrigo que te quero mostrar. Não te preocupes que voltaremos em breve... Vais comigo, ver o meu abrigo que está perto da lua e do Sol. De todos os corpos celestes, será o meu abrigo o que mais brilhará com a tua presença lá. Poucos percebem porque me abrigo da Humanidade e poucos percebem o que é o mundo além do seu umbigo mas estão todos nas mãos de alguém. Eu, estou na tua e tu na minha. Seremos um do outro, não amarei mais ninguém como te amo quando estou no meu abrigo, não vejo no mundo ninguém digno de tal sentimento.

Lá de cima, verás como o mundo está desorganizado, saltarás de estrela em estrela e vais rir comigo, vais abraçar-me, beijar-me, vais fazer amor comigo como se o amanhã estivesse para nunca chegar as nossas vidas acabassem ali. Será um seguro, não um porto mas seguro porque não existem mais portos seguros porque ninguém nos dá segurança, porque ninguém acerta naquilo que precisamos e eu só te quero no meu abrigo a seres o que quiseres, a fazeres o que quiseres, desde que sejas sempre tu. Só tu entendes o meu corpo, a minha respiração e o meu olhar, falamos em silêncio, amamos com suor e deixamos o pudor “nos inseguros”.
 


SOU ÚNICA, o mundo está cheio de cópias..

4 comentários:

  1. Bem que estou numa daquelas fases que bem precisava que alguém me mostrasse um abrigo desses e me deixasse la ficar uns tempos.

    beijos lindona

    ResponderEliminar
  2. Respostas
    1. Andaste a falar com a Sãosinha...

      Eliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.