domingo, novembro 25, 2012

Eh pá, trava aí um bocado

Por acaso, quando dividimos o Brasil em capitanias, algo fez os capitães donatários entrarem em rivalidades... Nenhum brasileiro engole este facto e tentam por tudo ter uma língua própria. Não têm. Pior, quando a usam é mesmo para se diferenciar de nós, os portugueses.
É história, passou, mas a educação, essa ninguém, mas ninguém tem que conquistar um país para ter indígenas bem educados a recebê-los...
Tenho dito

Não sou superior, supero-me.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.