quarta-feira, fevereiro 17, 2016

Shelter

 lembras-te olhos azuis?
Em todas as coisas do mundo reparaste que as Nike eram do modelo antigo. Sério, culto, vingativo, horas depois soubeste que estarias aprovado e questionaste-me. apenas te disse que seria o justo para os dois. Foste protector nesse dia e apenas isso, pensei eu que querias mais , metódico, não sabias como chegar a mim, estando à minha frente
Num forte abraço, numa respiração funda, senti um peso a sair de cima de ti, estavas finalmente em mim, respiramos tão perto que dávamos ar um ao outro.  Guiei-te , entrei na tua alma, quase impenetrável, fiz-te chorar, fiz-te rir., fiz-te vir, fiz-te o almoço, dei-te tudo, não foi quase, foi tudo. Abraços, beijos, desejos, fantasias, olhares que te aliam, eu li-te, tu deixaste o livro aberto.
Foi tão forte que anos depois, ainda te fiz chorar, cheio de lama, te abracei e vi que jamais conhecia alguém tão temido por quem lhe é desconhecido mas tão boa pessoa.
Não sou superior, supero-me.

4 comentários:

  1. Invejo-o.
    Acho que ele, num átimo de tempo, tornou-se inesquecível ante teus olhos.
    Azuis.
    Superaste a ti própria. Sempre consegues....

    ResponderEliminar
  2. Os olhos são lindos mas tristes os dele. Marcou sim. E eu a ele. Um beijinho na alma

    ResponderEliminar
  3. Cá pra mim estás apaixonada...

    :))

    ResponderEliminar
  4. Jorge, estou há alguns anos pelo homem que dorme comigo todos os dias a quem chamo de "meu homem", este, sim, estive apaixonada mas foi antes e lembrar amores, nunca foi mau, em especial quando eles foram bons.~Beijo (te)

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.