sexta-feira, maio 24, 2013

Vergonha de portugal (p, minusculo)

Mais uma vez confirmo: tenho vergonha, não do governo deste país, não da crise, não te ter deixado de consumir alguns pequenos luxos porque o carro não anda a chantilly , tenho vergonha de ser portuguesa.
Continuamos a planear férias, a alugar casas no Algarve, no Norte e quiçá uma escapadela a outro país. Continuamos a ter internet em casa mesmo desempregados quando existem bibliotecas, casas da cultura e sítios com wi-fi para o sempre obrigatório portátil ou I-Phone. Quem não tem dinheiro não tem vícios, é frase que o nosso povo detesta ouvir mas depois fazem como o castelo branco, roubam café num supermercado, é que café nem é um bem primário. Que tristeza de mentalidade.

Não sou superior, supero-me.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.