sábado, março 02, 2013

Descansa no meu palco

Descansa que não saio do meu palco.
Onde me exibirei sempre para ti, seja a melodia qual for, desde que tu me observes, me absorvas, me ames e me tenha como única.
Num simples respirar ganha-se o mundo ou perde-se o mundo de alguém...
Dá-me de beber para matar as saudades do que nunca tive, dá-me à boca, bem perto respira e passa o ar para mim, com "One" do grande Bono.
Dá-me histórias para escrever sem fim, que eu nunca as terminarei e sempre terei uma palavra de amor para acrescentar..
Ah... não queres amor?
Respeitado, era um mundo perfeito se cada um se respeitasse, mas este é o meu mundo, o meu blog, aqui só eu quero ser respeitada, aqui a minha forma de pensar muda a tua mente, faz-te fazer coisas que nunca imaginaste...
No fim... um abraço, o do costume






Não sou superior, supero-me.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.