quinta-feira, fevereiro 28, 2013

Do meu aniversário

No último post disse que andava cansada, o Martini, disse, e muito bem, que quero ser compreendida... Pensava que não era pedir muito, afinal é pedir demais, é uma utopia. Senti, nos últimos dias, "presa por ter cão e por não ter", coisa que abomino, dado que esclareço muito bem o que penso nem que seja rude, petulante e as merdas todas que me chamam. Questionaram a minha saúde física e quase, mesmo quase, conheceram o pouco que sei de Krav Magá... Falei com uma pessoa, alguém com uma visão holística que me diz que não tenho que tomar as dores dos outros, pois não... verdade? E odiar as injustiças que cometem comigo? Tenho que engolir? Tal como ninguém terá que gramar com as minhas mas que mo diga na cara como eu faço, ou também é pedir demais um pouco de frontalidade? Destes meus 37 anos, o melhor presente, dos meus dias, é o que a imagem mostra, alguém que me diz o quanto sou amada, o meu cão sempre atento a qualquer passo, mesmo assim, vou continuar a ser uma "louca", "apanhada do clima"... Apenas porque acho que existem coisas mal, às quais jamais me acomodarei. Relembro que quem se mete comigo tem a vida feita num perfeito inferno que nem Dante escreveria num ambiente renascentista. Não sou superior, supero-me.

3 comentários:

  1. somos peixes, somos umas esponjas das trajédias... as nossas verdadeiras, as dos outros e ainda as que nós criamos... e são estas últimas que nos fazem mais mal.
    No fundo, o que me custa não é ser assim, é ser tão lúcida que o consiga analisar...
    Beijoka minha querida e de novo os meus parabéns atrasados ;)

    ResponderEliminar
  2. atrasados mas uns sentidos parabéns :P

    beijocas

    ResponderEliminar
  3. Luís Alves, saudades tuas... Beijinho

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.