sexta-feira, junho 14, 2013

Permito-me

Permito-me pensar que ainda vou dar um belo pontapé no que atualmente me importuna. Aliás, penso demais nas coisas, nas pessoas, curiosamente o inverso não acontece mas continuo a achar que estou correta.

Não sou superior, supero-me.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.