segunda-feira, março 06, 2017

Conheço duas assim.



O ódio, a inveja e o desejo de vingança ligam muitas vezes mais dois indivíduos um ao outro do que o podem fazer o amor e a amizade. Pois está em causa a comunidade de interesses interiores ou exteriores e a alegria que se sente nessa comunidade - onde é muitas vezes determinada a essência das relações positivas entre os indivíduos: o amor e a amizade - é sempre relativa e não é em nenhum caso um estado de alma permanente; mas as relações negativas, essas são, a maior parte das vezes, absolutas e constantes. O ódio, a inveja e o desejo de vingança têm, poder-se-ia dizer, o sono mais ligeiro do que o amor. O menor sopro os desperta, enquanto que o amor e a amizade continuam tranquilamente a dormir, mesmo sob o trovão e os relâmpagos.

Arthur Schnitzler, in 'Relações e Solidão'


Sou uma força da natureza, não tentes destruir - me...

1 comentário:

  1. Obrigada Pink pela subscrição no outro blogue! Comento aqui nesta postagem mais antiga para evitar estar tão acessível aos periscópios habituais. Não leve a mal se não responder lá e se o fizer nos seus blogues, comentando o que escreve, com o nome antigo. Com o tempo a ver se começo a comentar normalmente mas por agora estou a ver como param "as modas". Beijinho e as suas melhoras.
    Casaquinho Chanel :) ou aqui na Blogger Gata Borralheira ehehheheheheh. <3

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.