sexta-feira, fevereiro 06, 2015

Saudades de há 10 anos

Saudade é uma palavra dura de roer. Daquelas que nos mostram que aquilo que gostamos está longe ou nunca mais volta. No meu caso, está apenas a 300km, mas é uma trabalheira lá ir, ao meu Algarve, de onde saí há 10 anos. As pessoas mudaram, puseram rotundas em todo o lado, mas eu, na minha cabeça, vejo tudo como se há 10 anos se tratasse e prefiro assim. Não existiam smartphones, não havia a mania da net e facebook nem vê-lo... Além do que estava muito mais magra... Siga... Não era amada verdadeiramente,  sentia-me um pouco sem rumo a viver com uma avó que num instante tem dois cancros e morre e morreu um pouco de mim. Esse pouco veio para cima mas nunca mais será como há 10 anos...

Não sou superior, supero-me.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.