terça-feira, novembro 08, 2016

respost do que gosto de ter escrito

 É engraçado como achamos piada aos nossos sentimentos. Que sejamos agradecidos por os termos Por vezes os sentimentos esgotam, queremos mais, ir sempre mais além... Será por isso que as pessoas se drogam? Bebem? O que sei, está patente, ninguém se sente satisfeito e aprendem em situações muitas vezes situações limite. E é mesmo o ser humano aprende nos seus limites. No limite da nossa força, percebemos que, por amor, ou amor à vida, somos mais, somos melhores, somos invencíveis. Somos carne moída para canhão que ainda se ergue perante um Sol generoso e um sentimento que surge do nada , do tudo e de todas as frentes. O ser humano, consegue mais, busca mais do que isso... Eu busco. Eu quero. Eu aguento as consequências. Eu amo. Eu odeio Sou generosa tanto como sou cruel.

Sou uma força da natureza, não tentes destruir - me...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.