terça-feira, março 31, 2015

"tens que ..."

Dizerem-me "tens que", é mostrar que são donos da verdade e, quiçá, da minha vontade.
Novidade: eu não tenho que nada, eu farei as coisas ao meu ritmo, com a minha coragem, não a vossa e com a minha força de vontade. É pouco, olha, é o "cá-cá", porque não admito que me digam isso sem se porem no meu lugar , sem sentirem o que eu sinto, sem espreitarem para a plateia do meu palco e verem que o palco está lá longe , perto dos deuses que eu tanto admiro. Portanto, parem lá com o tens que, antes que eu "tenha que "me chatear. 

Não sou superior, supero-me.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.