quarta-feira, 30 de abril de 2014

Se te entregar que seja como mulher. Ou homem. Mas que seja com alma, com garra, com ritmo, suor e com muito respeito por ti e por teus limites, fala de sexo e não de amor, na altura devida, ao contrário, também na devida altura.
Respeita e honra teu corpo, teu ser , tua essência, mesmo que com mojitos lá dentro, és tu e mais ninguém manda em ti.
Tenho dito.


Não sou superior, supero-me.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo (se fores uma besta quadrada, nem vale o esforço de escreveres).