domingo, fevereiro 13, 2011

Lições de vida

Quem não tem nada dentro, vazio, oco, sem alma, limita-se a mostrar o que tem por fora: roupas, bens, dinheiro...  Dizem que são felizes e quanto mais vezes o dizem mais infelizes se sentem, alimentam-se de fantasias e de amores falhados ou até de falsos nomes e profissões para ofuscar os outros... Isso conta no amor? Isso conta no bem estar? Isso conta no amor ao próximo e ao próprio?
Existem também pessoas que nunca aprendem, ou melhor, até aprendem, faz hoje um mês que uma esposa descobriu que afinal dormia com um mentiroso e não com o marido fiel e divertido de sempre.
As pessoas quando aprendem, é sempre numa situação limite, o problema não está em aprender, pois isso só faz bem ao nosso ser, só nos enriquece enquanto HUMANOS e evita futuros erros... O problema consiste em quem lhes ensina, por norma, sofre, por norma é a personificação do erro. É a doença e a cura ao mesmo tempo.
Lamento que funcione mal esta aprendizagem, que seja uma espécie de sacrifício de uns pela sabedoria dos outros.
Irão aprender e quem lhes ensinou vai ter paz.NÃO SOU SUPERIOR, SUPERO-ME!

Em resposta ao Martini, eu escrevi: Martini, se partes uma perna a andar num sítio escorregadio, de certeza que quando passares nesse sítio, lembras-te das dores...

Como é que eu aprendi a saber como se ama? dois posts abaixo onde se lê que fui espancada. Aprendi que até os homens que mais honestos e puros parecem, podem ser uns mosntros... Porque é que as músicas, os quadros de autores, ficam mais vendidos, mais valiosos quando o autor morre?

Porque é que quando alguém morre, há outro alguém que diz: "fogo, eu podia ter feito algo..."

5 comentários:

  1. Nem mais!

    com os erros aprendemos!

    ResponderEliminar
  2. Vanessa, a custo de quem já pensaste em quem sofre e até nós, os que aprendemos, o que fazemos sofrer?

    ResponderEliminar
  3. Tens toda a razão e retiro o mais importante, que aprendemos sempre em situações limite, como bem escreveste, a única pena é que normalmente as situações limite são sempre dramáticas. É dificil aprender em situações diferentes. A aprendizagem parece ser sempre algo doloroso.
    Será que o processo de aprendizagem só se pode verificar em situações destas?

    Beijoka

    ResponderEliminar
  4. Martini, se partes uma perna a andar num sítio escorregadio, de certeza que quando passares nesse sítio, lembras-te das dores...
    Como é que eu aprendi a saber como se ama? dois posts abaixo onde se lê que fui espancada. Aprendi que até os homens que mais honestos e puros parecem, podem ser uns mosntros... Porque é que as músicas, os quadros de autores, ficam mais vendidos, mais valiosos quando o autor morre?
    Porque é que quando alguém morre, há outro alguém que diz: "fogo, eu podia ter feito algo..."

    ResponderEliminar
  5. Nem todos aprendemos com os erros, tanto que é assim que há quem insista no mesmo erro várias vezes, esperando um milagre.
    Há ainda quem insista na mentira julgando enganar os outros ou enganar-se a si?

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.