segunda-feira, maio 21, 2018

O mar no teu peito

Queria ouvir algo mais bonito que o mar.
Pedi para encostar a cabeça ao teu peito e ali fiquei sossegada, amparada, sorridente e a gostar de ti. 
A gostar. O mar era tão pouco comparado com a batida do seu coração




Os sentimentos já não são sólidos, mas sim gasosos e tendem a evaporar, comigo não, nem se medem, e muito menos se carimbam como príncipe ou “messias” da minha vida. Tal como todos os seres humanos, eu tentei mostrar a alguém o quanto essa pessoa me era, e vai sempre especial, e nunca recebi um obrigado, apenas uma muralha na frente e mesmo assim, não me importava.
Talvez fosse isso que te fizesse confusão… A verdade é que tu irias ver a força das minhas palavras nos meus atos, ouvir o barulho bonito, aquele mais bonito do que o mar. Penso em ti e pedi às estrelas e ao Sol para tomarem conta de ti, lá do alto





O poder da Natureza é infinito, eu sou natural.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.