quinta-feira, agosto 17, 2017

O monitor

Poucas são as pessoas que admitem dizer o que escrevem atrás de um monitor, na cara do receptor da mensagem. Aos que não pensam que um dia serão confrontados com isso cara a cara, só posso dizer que são uns merdas. Uns amores, eu diria.
O monitor não é o muro de Berlim, e até esse caiu e se as tecnologias estão cada vez mais avançadas, também estão as leis que protegem os seus utilizadores e as forças policiais recebem cada vez mais formação e criam mais departamentos para as burlas, ameaças, exposição de dados e afins. 
Gostava que fosse criado um artigo para aqueles ofendem, ameaçam , julgam, gozam e depois dizem , nunca me apanhas, eu nunca digo quem sou ... Assim de repente lembro-me de duas otárias... 
Mas a tecnologia vai avançando e não é à toa que o meu advogado me pediu os códigos técnicos de alguns mails. Siga a procissão.

 

Sou uma força da natureza, não tentes destruir - me...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.