domingo, agosto 27, 2017

Not Trump, dear

As redes sociais e as novas tecnologias são hoje apontadas como as culpadas de não existirem crianças na rua sentadas à noite no Verão, como eu tive a sorte de pertencer a um grupo que dizia "vou para a rua" e era tudo tão fácil...
Hoje, obrigam os putos a saírem, quando antes estiveram a actualizar todas as redes sociais, a ser heróis atrás do monitor, a divagar num blog, a enviar mails necessários ou completamente falsos e desnecessários...
Se somos racionais, somos então capazes de retirar o melhor da WWW. Fazer campanhas, doações,proteger animais, defender causas, fazer alertas verdadeiros, mostrar capacidades e , muito importante, limitar o tempo. Sou daquelas que a partir das 21 não vem à net, ou raramente o faz, ao contrário dos outros, acredito que uma boa máquina fotográfica não está no telefone. 
Uso a minha para fotografar números de telefone que vejo na rua e que me podem fazer falta, horários, referências de contas, e faço alguns prints. 
Demorei algum tempo a registar-me no face e continuo a preferir o blog mas cada um faz uso das redes sociais como quer. Não queiram não estar preparados para as críticas, como diz o Dj Tiesto: "Não leias maus comentários, fazes uma pessoa irritar-se mas fazes 100 felizes"...
Como eu não sou o Tiesto, nem uso (agora)o twitter e não tenho assessores como o Trump... 
hello filtros do gmail!
Hello bloqueios!
Hello app de bloqueio de chamadas!

 






Sou uma força da natureza, não tentes destruir - me...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.