quinta-feira, agosto 17, 2017

Dos incêndios

Em 2003, todo o Algarve ardia, o concelho onde os meus avós ainda viviam safava-se. 
Eu trabalha de dia e noite, à noite aquele monte é assustador com o vento e as enormes árvores... A minha avó foi hospitalizada, o meu avô faleceu e eu sozinha... 
O meu pai havia meses antes limpo o mato, haviam mangueiras prontas a molhar o terreno mas porra, eu dormia com um olho aberto e outro fechado. 
Depois comprei , com o ex, casa na zona de Lisboa e havia um incêndio a 10 km, e eu pensei, "porra, vou ficar sem nada" e o ex na Alemanha... 
Este fim de semana há alerta máximo, incluindo a minha zona no Algarve, hoje acordei com um tremor de terra, em Espanha houve uma catástrofe...
Eh pá DEUS? (desculpa pai)
Onde? 
Porra.





Sou uma força da natureza, não tentes destruir - me...

7 comentários:

  1. Nada erótico, mesmo, Pinkita.

    ResponderEliminar
  2. Por acaso, fiz-me de coitadinha e o meu namorado da altura foi lá umas noites ficar comigo... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sua... sua... sua incendiária! :O)

      Eliminar
    2. E hoje , precisamente a falar sobre esse ano,com o pai, levei o belo do raspanete que dei cabo da mangueira mais cara do monte... Raios partam que se esquece de tudo menos de coisas que eu fiz em criança e que lhe saíram do bolso!

      Eliminar
    3. Poderia ter sido bem pior... se tivesses estragado a mangueira do teu namorado da altura!

      Eliminar
    4. Não era grande coisa...

      Eliminar
    5. Então, era essa que podias ter estragado, e não a do teu Pai :O)

      Eliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.